FMI decide encerrar escritório no Brasil após críticas de Guedes

Ministro disse que representantes do Fundo gostam de criticar e que presença não é mais necessária

FMI decide encerrar escritório no Brasil após críticas de Guedes
FMI rebaixa a quase zero previsão de crescimento do Brasil em 2022 (Foto: Reprodução- Agência Brasil)

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou nesta quinta-feira (16), que fechará seu escritório no Brasil, que fica em Brasília. Segundo a instituição, isso acontecerá até 30 de junho de 2022, quando termina o prazo da atual representação. A decisão acontece em meio a críticas do ministro da Economia, Paulo Guedes, a estimativas sobre a economia brasileira divulgadas pela instituição.

Durante evento realizado em São Paulo na quarta-feira (15), o chefe da pasta voltou a criticar o FMI dizendo que técnicos do órgão podem fazer “previsão em outro lugar”.

FMI pretende manter relações com o governo brasileiro

Por meio de nota, o FMI disse que pretende manter as boas relações com o país. “Esperamos que a alta qualidade do envolvimento do corpo técnico do Fundo com as autoridades brasileiras continue, na medida em que trabalhamos de perto para apoiar o Brasil no fortalecimento de sua política econômica e configurações institucionais”, informou.

Já o Ministério da Economia informou que “comunicou” ao FMI que “não será mais necessário” que o fundo mantenha seu escritório no Brasil a partir de julho do ano que vem. “O Fundo mantém escritórios apenas em países com os quais tem programa ativo, o que torna obsoleta a manutenção de um escritório no país. No caso brasileiro, o último acordo financeiro com o FMI ocorreu em 2002 e foi pago antecipadamente em 2005. O Brasil hoje é credor do FMI”.

Ainda de acordo com a pasta, o Brasil valoriza o diálogo construtivo com o FMI, participa ativamente das atividades e iniciativas do fundo, “inclusive as que resultaram em auxílio internacional aos países vulneráveis durante a pandemia e permanece comprometido em continuar trabalhando para garantir um relacionamento frutífero com o organismo”, concluiu a pasta.