Força-tarefa deve utilizar cansaço de Lázaro como estratégia para capturá-lo

Segundo a SSP-GO, o cansaço pode deixar o suspeito mais perigoso, mas também mais suscetível à prisão

Lideranças religiosas denunciam violência da polícia na busca por Lázaro A força-tarefa que faz buscas por Lázaro Barbosa Sousa há oito dias deve utilizar o cansaço do suspeito como estratégia para capturá-lo. (Foto: divulgação)
(Foto: Divulgação)

A força-tarefa que faz buscas por Lázaro Barbosa Sousa há oito dias deve utilizar o cansaço do suspeito como estratégia para capturá-lo. Segundo o secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Miranda, o homem já está com mais dificuldade para conseguir alimento, o que faz com que ele fique mais “cansado e acuado”. O fugitivo é apontado como autor de uma chacina no Distrito Federal (DF), invasões a propriedades, furto de veículo, fazer vítimas reféns e balear quatro pessoas, entre elas um policial militar.

De acordo com o titular da pasta, a tendência é que Lázaro fique mais perigoso em razão do cansaço. No entanto, ele fica mais suscetível à prisão, conforme ressalta Rodney Miranda. “Ele geralmente sai da mata em busca de alimento. Ontem chegamos muito perto, mas hoje vamos pegá-lo”, assegurou.

O secretário ressaltou que o cerco contra Lázaro está sendo fechado cada vez mais. Os policiais fazem buscas em um raio de 10 km. Segundo ele, não houve movimentação do suspeito na madrugada desta quarta-feira (16). “Tudo indica que ele ficou na mesma região que já havíamos delimitado ontem”.

Ainda conforme Rodney, as forças policiais receberam duas informações acerca da movimentação de Lázaro na manhã de hoje, mas não deu detalhes, pois os relatos ainda não foram confirmados.

Um possível acionamento do exército para ajudar nas buscas foi descartado pelo titular da SSP-GO.

Veja o que se sabe até o momento sobre os passos do suposto homicida, desde a mencionada chacina até o abandono de um carro roubado após fuga frustrada por cerco policial na BR-070, em Edilândia.