Funcionários da Saneago são ameaçados por clientes em Anápolis

Casos foram registrados na Vila Jaiara e na Vila São Joaquim. A Polícia Militar (PM) apreendeu uma arma de fogo utilizada para ameaçar um funcionário durante fiscalização do esgoto de um lava-jato

Ocorrências foram registradas na Polícia Civil. (Foto: Jonathan Cavalcante/Mais Anápolis)

Dois funcionários da Companhia Saneamento de Goiás (Saneago) foram ameaçados por clientes durante a tarde de segunda-feira (25) em Anápolis. Em um dos casos, o proprietário de um lava-jato na Vila Jaiara utilizou uma arma de fogo para ameaçar um prestador de serviços que realizava uma vistoria no estabelecimento. Em outra situação, o dono de um comércio na Vila São Joaquim arremessou pedras e entrou em vias de fato contra um funcionário da companhia. A Polícia Militar (PM) registrou as ocorrências.

Em resposta ao Mais Anápolis, a Saneago diz que “repudia veementemente as ameaças e os atos de violência sofridos por dois funcionários em Anápolis, durante o exercício de suas funções e vai seguir acompanhando o caso e dando todo apoio necessário”, diz a nota.

Segundo a PM, um leiturista de 24 anos contou que foi ameaçado com uma faca pelo proprietário de um comércio na Avenida Pedro Ludovico, enquanto colocava o papel da aferição da conta de água no local. Segundo ele, o comerciante ainda arremessou pedras em sua direção. O suspeito disse aos policiais que pediu para o funcionário colocar o papel em local limpo, e alega que foi xingado, momento em que ficou nervoso e correu atrás dele arremessando pedras.

Ainda de acordo com a PM os envolvidos foram ouvidos e liberados no local. A vítima foi orientada do prazo de 06 (seis) meses, para manifestar o interesse de representar criminalmente em desfavor do comerciante.

Ameaça com arma de fogo em lava-jato

No outro caso, um funcionário da Saneago que realizava a aferição de irregularidade de esgoto em um lava-jato na Jaiara contou à PM que o dono do estabelecimento o ameaçou utilizando uma arma de fogo. Segundo ele, o autor proferiu palavrões e em seguida o empurrou até a calçada. De acordo com a corporação, o suspeito ao ser abordado negou que teria uma arma, porém, acabou confessando e indicou o local do armamento. “O registro de arma de fogo não dá o direito ao cidadão de fazer o uso da mesma como instrumento de ameaça”, explica a Polícia Militar.

Diante dos fatos, uma pistola com 12 munições de calibre 9 mm foi apreendida e contra o autor registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por ameaça.

"<yoastmark

Nota da Saneago

A Saneago repudia veementemente as ameaças e os atos de violência sofridos por dois funcionários, ontem (25), em Anápolis, durante o exercício de suas funções.

Nas duas situações, os colaboradores registraram Boletim de Ocorrência. Um deles realizava vistoria de esgoto em um lavajato, na Vila Jaiara, quando foi ameaçado com arma. Na Vila Joaquim, além de ataques verbais, outro funcionário – de empresa terceirizada que presta serviços à Saneago – foi acertado por uma pedra, enquanto também realizava serviço na rua.

A Companhia se solidariza com os colaboradores diante das agressões sofridas e reitera que condena qualquer forma de violência. A Saneago vai seguir acompanhando o caso e dando todo apoio necessário aos funcionários.