Goiás é o quarto estado que mais utiliza cannabis medicinal no País, diz estudo

Distrito Federal está no topo da lista

Distrito Federal está no topo da lista. Goiás é o quarto estado que mais utiliza cannabis medicinal no Brasil
(Foto ilustrativa: Reprodução - FreePik)

Goiás é o quarto estado que mais utiliza cannabis medicinal no Brasil, segundo números da Associação Brasileira das Indústrias de Canabinoides (BRCann). Em primeiro lugar, está o Distrito Federal, com a maior taxa de pacientes autorizados a importar produtos derivados do canabidiol (CBD) para uso medicinal. No DF, a cada 100 mil habitantes, 121 estão no rol de concessões da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O diretor-executivo da BRCann, Tarso Araújo, afirma que o investimentos das empresas do setor em educação médica continuada e as autorizações sanitárias que permitiram a chegada de novos produtos nas farmácias, o que aumenta a confiança de médicos e pacientes, estão entre os fatores que contribuem para o avanço das importações.

“A chegada de produtos de cannabis nas farmácias tradicionais tem despertado maior interesse sobre os tratamentos e impulsionado as prescrições”, aponta Tarso.

No Brasil, apenas 15 produtos já receberam autorização sanitária da Anvisa para comercialização nas farmácias. A maioria desses produtos só deve chegar às prateleiras no segundo semestre de 2022 ou no primeiro semestre de 2023, de acordo com a BRCann.

Ainda segundo a instituição, a baixa oferta tem influenciado os pacientes a buscarem opções de produtos via importação, diante da ampla variedade de formulações e preços.

Confira a lista dos estados brasileiros com o maior número de autorizações para importação de produtos de cannabis por 100 mil habitantes:

DF – 121.4
RJ – 69.3
SP – 62.4
GO – 45.3
SC – 42
PR – 34.1
ES – 30.7
MS – 29.6
RS – 27.3
MG – 27.1

Associações em Goiás relatam dificuldade de acesso a tratamentos com cannabis

O óleo extraído da cannabis conquista espaço cada vez maior no tratamento de pessoas acometidas por autismo, alzheimer, epilepsia, fibromialgia, entre outras doenças. Porém, associações do meio ouvidas pelo Mais Goiás afirmam que pacientes com receita para uso da cannabis enfrentam dificuldade de acesso ao medicamento, principalmente pelo alto preço com que é vendido o óleo. Leia na íntegra aqui.

*Com informações do Correio Braziliense