Goiás não discute fim do uso de máscara antes de imunizar 70% da população

Estado está com 48,2% da população geral completamente imunizada, segundo Flúvia Amorim

Sem previsão, Goiânia pode pode liberar uso de máscaras em
Sem previsão, Goiânia pode pode liberar uso de máscaras em "cenário de segurança" (Foto: Pixabay)

Flúvia Amorim, superintendente de Vigilância em Saúde de Goiás, afirma que a flexibilização do uso de máscara para locais abertos no Estado não vai ocorrer neste momento. A discussão só deve começar após a vacinação com as duas doses de todo o público-alvo (acima de 12 anos) passar, no mínimo, dos 70% da população.

“Segundo estudos, a partir desse percentual se inicia a queda de infecções, transmissões e óbitos”, disse ao Mais Goiás nesta quinta-feira (5). Hoje o Estado tem 48,2% da população geral completamente imunizada. Ela diz que não se pode baixar a guarda neste momento.

“Quando estivermos chegando, vamos conversar como vai ser, utilizando a experiência de outros países com experiências exitosas”, expôs e emendou: “Primeiro, liberar em local aberto, continuar o controle, e então para o resto. Mas a retirada da máscara é a última medida de segurança.”

Questionada se há algum município que já flexibilizou o uso, ela afirma que a Vigilância em Saúde não foi oficialmente comunicada de nenhum. Apesar disso, pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) apontou que um, dos 60 pesquisados em Goiás, teria liberado o uso.

Flúvia desconhece. “Não houve comunicação oficial.” O portal, então, procurou o CNM por e-mail, que disse não revelar o nome das cidades pesquisadas.

Flúvia diz que não se pode baixar a guarda neste momento (Foto: Jucimar de Sousa – Mais Goiás)

Goiânia também não vai debater sobre a flexibilização do uso de máscara neste momento

Por nota, a prefeitura de Goiânia, por meio da secretaria de Saúde de Goiânia (SMS), informou que ainda não discute liberar o uso de máscara em locais abertos. “O momento é de enfrentamento da pandemia que ainda requer, além da vacinação, a manutenção de medidas protetivas contra a Covid-19 e uma delas é o uso de máscara que, na área científica, é reconhecidamente uma medida eficaz no controle da doença”, informou.

O portal também tentou conversar com o secretário municipal Durval Ferreira e a diretora de Vigilância Epidemiológica do município, Grécia Pessoni. A pasta, contudo, informou que a posição seria apenas por nota.