Goiás negocia com empresas e pode mudar nome do estádio da Serrinha

O dinheiro recebido pelo clube irá ser usado para completar as obras da praça esportiva

Foto: Reprodução/Coritiba

O estádio Hailé Pinheiro, mais conhecido como Serrinha, está próximo de mudar de nome. Isso porque, o Goiás está negociando o naming rights do estádio com um patrocinador local e o dinheiro irá para a retomada das obras da praça esportiva. Já que de acordo com a direção, o clube não irá colocar dinheiro do futebol em patrimônios.

Em uma entrevista com a rádio Sagres, o presidente do Goiás afirmou que está com as negociações bem avançadas, porém nos últimos dias apareceram uma empresa nacional tentando entrar no negocio. Paulo Rogério Pinheiro destacou que para completar as obras da Serrinha ainda serão necessários mais ou menos R$ 1 milhão.

“Apareceu em janeiro um futuro patrocinador, desde janeiro estamos conversando, está sendo negociado e conduzido pela direção de marketing. Isso é o trunfo que tenho para terminar as obras do estádio”, disse o dirigente esmeraldino.

É importante destacar que o termo naming rights significa direitos de nome, em que uma empresa ou marca paga para colocar seu nome seja ele um estádio de futebol ou algum estabelecimento de eventos. No Brasil a pratica ainda é pouco comum, já que apenas alguns estádios possuem, como o Allianz Parque, do Palmeiras e a Neo Química Arena, do Corinthians.

Porém na Europa é algo bastante utilizado pelas equipes, em 2018, a UEFA tentou mapear quantos estádios no continente tinha a cessão de nome das empresas e naquela época foram encontrados 115 locais. Alguns exemplos são o Etihad Stadium, do Manchester City, o Wanda Metropolitano, do Atlético de Madrid, e o Allianz Arena, no Bayer de Munique.