Goiás possui a maior taxa de incidência de casos de Covid-19 do Brasil

Levantamento do Ministério da Saúde leva em consideração a semana 45, entre os dias 7 e 13 de novembro

Brasil registra 303 mortes por Covid e chega a 614 mil vidas perdidas
Brasil registra 303 mortes por Covid e chega a 614 mil vidas perdidas - (Foto: Jucimar de Sousa - Mais Goiás)

O Estado de Goiás possui a maior taxa de incidência de casos da Covid-19 do Brasil. A informação é do Ministério da Saúde e leva em consideração dados obtidos na semana 45, entre os dias 7 e 13 de novembro. De acordo com o levantamento, a incidência em todo o território goiano no mencionado período foi de 147,7 por 100 mil habitantes contra 37,5 da média nacional.

Além de liderar o ranking de incidência, Goiás também é o maior em números absolutos de registros de contaminações. O estado teve 10.504 novos casos no período de sete dias. Com relação aos óbitos, foram 80 novos registros causados pelas complicações do novo coronavírus.

Goiás possui a maior taxa de incidência de casos de Covid-19 do Brasil pela segunda vez

Os dados do MS expõem, ainda, que o território goiano alcançou a marca de maior taxa de incidência de casos de Covid-19 do Brasil pela segunda vez.

O estado esteve na primeira posição na semana 43, de 25 a 31 de outubro. Goiás retornou ao 1º lugar na semana 45, segundo registros do Ministério da Saúde, divulgados no último final de semana.
Ainda de acordo com o levantamento, na região Centro-Oeste, Goiás lidera a taxa de incidência há cerca de três semanas.

Incidência de óbitos por Covid

Com relação aos óbitos, o território goiano ocupa a 7ª posição de novos registros na semana 45, atrás de São Paulo (542), Rio de Janeiro (225), Rio Grande do Sul (180), Minas Gerais (171), Paraná (95) e Santa Catarina (92).

Na semana 45, o Centro-Oeste foi a região com maior taxa de incidência do país, alcançando 81,8 casos/100 mil habitantes. O Sul teve a segunda maior taxa de incidência (59,5 casos/100 mil hab.), seguido pelo Norte (30,1 casos/100 mil hab.), Nordeste (29,6 casos/100 mil hab.) e Sudeste (28,6 casos/100 mil hab.). O Brasil apresentou uma incidência total de 37,5 casos/100 mil habitantes no mencionado período.