Governo lança edital para locar 500 câmeras de segurança

A medida integra o Projeto Olho Amigo, da Secretaria de Segurança Pública (SSP)

O Governo de Goiás lançou nesta terça-feira, dia 19, edital de registro de preço para a locação de 500 câmeras de segurança de alta resolução, ao custo de R$ 60.982 milhões pelo prazo de quatro anos. A medida integra o Projeto Olho Amigo, da Secretaria de Segurança Pública (SSP), cuja finalidade é inibir e reduzir a criminalidade na capital, por meio do videomonitoramento de regiões com a maior incidência de homicídios, roubos a pessoas, estabelecimentos comerciais e de veículos.

Os ‘olhos eletrônicos’ serão instalados em 35 bairros previamente mapeados pela SSP e permitirão uma cobertura efetiva de todas as regiões de Goiânia. Os novos equipamentos serão somados aos 70 que já estão em funcionamento nas regiões Central, Campinas e Noroeste. Outras 80 serão instaladas graças a um convênio firmado com o Ministério da Justiça, por meio do programa Crack É Possível Vencer.

No dia 3 de setembro, o governo estadual irá divulgar o nome da empresa selecionada. A partir dessa etapa, o prazo previsto para instalação é de até quatro meses. As imagens captadas serão analisadas em tempo real diretamente do Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle sediado na SSP, que será concluído a partir de setembro.

”O primeiro auxílio das câmeras de vigilância é na prevenção. Via de regra, quando existe o sistema de videomonitoramento, os criminosos fogem dessas áreas. E o segundo é na identificação de autores e cenas suspeitas que possam auxiliar nas investigações de crimes. Cabe às equipes policiais, aos delegados que fazem essas investigações terem acesso a essas imagens com muita rapidez e fazerem as análises se utilizando de softwares para melhorá-las, quando são captadas à noite e então esclarecer crimes importantes”, avalia o secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita.

O projeto será estendido à Região Metropolitana e demais áreas densamente povoadas, conforme anunciou o governo estadual. A ideia é garantir, por meio dessa tecnologia que se assemelha a um verdadeiro Big Brother em razão da proporção da vigilância a que se propõe, a tranquilidade e a paz da população goianiense. Mesquita afirma que as câmeras serão de última geração e de alta resolução, permitindo a identificação de detalhes cruciais para investigações policiais como as placas de veículos, por exemplo, entre outros.

O sistema de videomonitoramento faz parte de um conjunto de ações   implementadas pelo Governo de Goiás nos últimos anos para reforçar a área de segurança pública. Em 2014, houve um incremento de cerca de 1,4 policiais militares, homens e mulheres nas ruas, além de cerca de 600 policiais civis. Em setembro, o efetivo ganhará o reforço de 1,1 mil aprovados no último concurso público da corporação que atualmente estão fazendo o curso de formação.

Mesquita anunciou que a frota das Polícias Militar, Civil e Técnico-Científica será renovada no mais tardar na primeira semana de setembro e, ao falar sobre os investimentos realizados, destacou o uso de tornozeleiras eletrônicas por detentos dos regimes aberto e semiaberto do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, o projeto de georreferenciamento das viaturas e a construção do Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle, que permitirá a integração das Polícias Militar e Civil em um mesmo espaço.