Hamster indicado como assistência emocional a criança é expulso de voo

Animal foi indicado para apoio emocional a menina com TDAH

Hamster indicado como assistência emocional a criança é expulso de voo
Hamster indicado como assistência emocional a criança é expulso de voo - (Redes sociais)

A hamster Ivy indicada como um animal de assistência emocional para a menina Maria Eduarda, de 8 anos, diagnosticada com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), foi expulsa de um voo da companhia aérea Azul. O animal havia sido aprovado por uma psicóloga e após uma mudança de residência, a família passou por uma traumática separação entre a hamster e a criança, com o veto da companhia.

Em 23 de dezembro do ano passado, Maria Eduarda se mudou com sua família de Florianópolis para a Bélgica. Todos embarcaram nesta data no aeroporto da capital de Santa Catarina, incluindo a hamster Ivy.

Na conexão prevista na cidade de Campinas, em São Paulo, a documentação da hamster, aceita no embarque em Florianópolis, acabou contestada. E o animal, que viajava dentro de uma caixinha no colo da menina, foi proibido de prosseguir em viagem para a Europa. Segundo os pais da criança, ela ainda chora e diariamente fala que sente muito a falta da hamster. Mas, em breve o pai da garota poderá voltar ao Brasil para buscar Ivy.

Determinação da Justiça

Por determinação da juíza Vania Petermann, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a Azul terá que viabilizar a viagem do pai, que viria ao país para resgatar o animal. A companhia aérea tem o prazo de 20 dias para providenciar o suporte necessário para o retorno ao Brasil e depois para que ele possa embarcar com a hamster para a Bélgica.

Caso descumpra a decisão, a multa é de R$ 10 mil por dia. A empresa Azul ainda não se posicionou sobre o assunto.