Homem resgata cobra e a entrega ao Samu com a boca lacrada em Águas Lindas

Homem retirou o animal de uma rodovia para evitar que ele fosse atropelado

Cobra é resgatada, tem boca lacrada com fita isolante e é deixada na base do Samu em Águas Lindas de Goiás
Cobra é resgatada, tem boca lacrada com fita isolante e é deixada na base do Samu em Águas Lindas de Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Um morador da cidade de Águas Lindas resgatou uma cobra que corria perigo às margens de uma rodovia que passa pela cidade, na última terça (23), e o ato contínuo foi o de entregá-la ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu). Mas antes, o sujeito lacrou a boca do animal para se precaver de uma eventual mordida.

O homem disse que resgatou a cobra porque temia que ela fosse atropelada. Depois de recepcionar o réptil, o Samu acionou o Corpo de Bombeiros. Os bombeiros, por sua vez, de imediato tiraram a fita isolante que imobilizava o animal. A cobra não sofreu ferimentos e foi solta em uma área de proteção ambiental próxima.

Cobra não é venenosa

A cobra se trata de uma jiboia, espécie vítima de caça e tráfico devido ao valor comercial de sua pele e de sua carne.

A jiboia não é venenosa, mas morde para se defender. “A jiboia não tem veneno, o máximo que pode fazer é morder para se defender se alguém se aproximar demais, ela abate suas presas por constrição. As cobras são essenciais para manutenção e controle de pragas no meio ambiente”, explica a bióloga Wanessa Castro.

A bióloga orienta a não tentar resgatar o animal por contra própria. “O principal é não matar o animal. Se afaste e acione os bombeiros ou a Amma (Agencia Municipal de Meio Ambiente)”.

Leia outras notícias no Mais Goiás

João de Deus é condenado a mais de 44 anos de prisão

Pai e madrasta são suspeitos de torturar criança de 7 anos por ser “muito levada”

Suspeito de estrangular homem em casa é preso mais de 7 meses após o crime, em Aparecida

 

*Jeice Oliveira compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Alexandre Bittencourt