Homem vai à Itália para pegar covid-19 de propósito e morre

Vítima queria ser isenta de apresentar passaporte da vacina, que é dispensado para quem teve a doença nos últimos seis meses

Processo seletivo vai preencher 429 vagas em três hospitais estaduais (Foto: Pixabay)
Processo seletivo vai preencher 429 vagas em três hospitais estaduais (Foto: Pixabay)

Um austríaco, de 55 anos, morreu depois de ir a uma ‘festa do corona’ na Itália para se contaminar propositalmente. Ele tinha o objetivo de receber ‘passaporte’ para não se vacinar.

Desde outubro, o país exige o comprovante de vacinação no ambiente de trabalho. O passaporte, entretanto, é dispensado para pessoas que se contaminaram com o vírus nos últimos seis meses.

Coordenador da unidade anti Covid de Bolzano, Patrick Franzoni contou ao jornal italiano Il Dolomiti que tem sido cada vez mais comum pessoas irem a esse tipo de festa para se contaminarem.

Franzoni contou que recebeu relatos de médicos sobre pacientes que admitiram terem se infectado deliberadamente.

“(Eles fazem isso) para desenvolver anticorpos e obter o passe verde sem vacinação. Há consequências de longo prazo e até mesmo os jovens podem acabar no hospital”, disse ele, segundo a “Newsweek”.

Tentativas de forçar contaminação por covid-19

Uma ou mais pessoas com o teste positivo para a doença vão para esses ambientes com objetivo de transmitir a Covid-19. Com isso, outras pessoas se aproximam delas para tentar se infectarem por meio de troca de copos e talheres e abraços.

Até crianças são levadas pelos pais para esses locais. Franzoni disse ainda que uma criança está internada em um hospital italiano se recuperando da doença.