Inverno chega a Goiás nesta terça (21), com promessa de baixa umidade e pouca chuva

A partir dos próximos meses, Goiás deverá enfrentar tempo seco, sem chuvas e com aumento de queimadas

O inverno começa oficialmente nesta terça-feira (21) para a maior parte do território brasileiro, inclusive em Goiás. De acordo com o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado (Cimehgo), a expectativa para o território goiano é que, nos próximos meses, o tempo seco e a falta de chuvas se intensifiquem.
Inverno chega a Goiás nesta terça (21), com promessa de baixa umidade e pouca chuva (Foto: Jucimar de Sousa - Mais Goiás)

O inverno começa oficialmente nesta terça-feira (21) para a maior parte do território brasileiro, inclusive em Goiás. De acordo com o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado (Cimehgo), a expectativa para o território goiano é que, nos próximos meses, o tempo seco e a falta de chuvas se intensifiquem.

“Nesse primeiro momento, nos meses de junho e julho, as temperaturas ficam mais amenas, Mas apartir de agosto setembro, elas ficam bastante altas mesmo. São nesses meses que a gente tem o nosso período mais crítico de estiagem, da seca, onde as temperaturas podem beirar a casa dos 40° em Goiás, em algumas regiões como Porangatu, Aragarças. Então, neste primeiro momento, tempo vai estar mais agradável. Com o passar do tempo a situação de estiagem vai ficar mais crítica e temos que nos preparar “, detalhou André Amorim, gerente da Cimehgo.

Conforme o especialista, o início da estação é chamado de solstício de inverno, quando as noites são mais longas que os dias. Vale lembrar que o inverno acontece durante os meses julho, agosto e setembro em nossa região. Seu término está previsto para o dia 22 de setembro de 2022, quando se inicia a primavera.

Outros aspectos que podemos observar durante o inverno para Goiás, são: nevoeiros ou neblina, que consiste na existência de gotículas d’água que flutuam no ar próximo ao solo e reduzem a visibilidade a menos de 1000 m; a formação da névoa seca, que é uma massa de ar misturada com poluição, que deixa o horizonte opaco e embaçado; o baixo índice da umidade relativa do ar, cujos valores podem chegar a 10% no período da tarde; o aumento das queimadas, devido a vegetação estar mais seca.