Ipasgo suspende consultas e cirurgias não emergenciais

Medidas integram plano de ação emergencial do Governo de Goiás para controlar avanço do coronavírus

Ipasgo suspende consultas e cirurgia não emergenciais

A partir do próximo sábado (21) o Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) não realizará cirurgias e serviços agendados. Tudo será suspenso temporariamente. Neste período, somente serão feitos procedimentos e cirurgias que tenham urgência e necessidade comprovados.

A determinação segue a norma da portaria nº 04/2020 que proíbe aglomerações e grandes circulação de pessoas em ambientes fechados (como hospitais) por 15 dias. O Ipasgo atende atualmente cerca de 625 mil usuários no Estado e possui uma rede credenciada com 3.210 profissionais e 900 empresas de saúde.

De acordo com Ipasgo, a decisão cumpre as determinações do Ministério da Saúde e do Governo de Goiás de ter a disponibilidade de leitos nos hospitais para atender aos casos de internação em função da pandemia do novo coronavírus e casos gerais de urgência e emergência.

“Aqui, no instituto, nosso comitê está articulando parcerias para que leitos sejam separados exclusivamente para os casos de coronavírus, conseguimos exames com coleta domiciliar, implantamos medidas de seguranças e novas ações são pensadas e tomadas a cada hora visando garantir ao máximo a segurança de nossos usuários. Mas sem a participação firme de cada goiano, tudo isso pode não ser suficiente”, declara o presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes.

Silvio explica que cirurgias e serviços eletivos não têm caráter de urgência e podem ser agendados sem provocar prejuízos. Ele, pontua que neste momento a prioridade é garantir que os usuários que tenham sido contaminado pelo coronavírus, recebam o atendimento adequado e tenham leitos para sanar as necessidades que surgirem relacionados a pandemia.