Israel e Rodolffo são acusados de apologia ao estupro com nova música

Rodolffo respondeu a acusação e disse que a música 'Dar Uma Namorada' é alegre e descontraída

Israel e Rodolffo são acusados de apologia ao estupro com nova música
Foto: Divulgação

A dupla Israel e Rodolffo está sendo criticada após o lançamento de Dar Uma Namorada, nova música de trabalho dos sertanejos. Especialistas e internautas afirmam que a canção faz apologia ao estupro.

A polêmica deu-se após a análise de uma parte da música, que diz “me atiçou, vai ter que dar uma namorada“. Confira o trecho:

“Cê não vai, me iludir de graça
Me atiçou, vai ter q dar uma namorada
Se não tá querendo rolo, então não caça
Me atiçou, vai ter que dar uma namorada”

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Israel e Rodolffo (@israelerodolffo)

A psicanalista e doutora em psicologia Manuela Xavier publicou um vídeo no Instagram em repúdio à música que, segundo ela, faz apologia clara ao estupro.

Segundo ela, na música, “se a mulher for es…, a culpa é dela. Porque ela atiçou. A música é uma apologia clara ao es…. A realidade no Brasil não é isso que acontece numa rua escura, um homem mascarado. Em 80 % dos casos, a vítima conhece seu agressor”, diz.

Ela continua a defesa na legenda do vídeo. “Vejam bem, eu, uma mulher, não posso fazer uma denúncia sobre a cultura do $stu_pr* que faz uma de nós vítima a cada 8 minutos; mas Israel e Rodolffo, dois homens brancos, podem cantar que “me atiçou vai ter que dar uma namorada”, pontuou, pedindo providências da Som Livre.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Manuela Xavier (@manuelaxavier)

Rodolffo responde a acusação

O cantor Rodolffo também usou as redes sociais para se manifestar e rebateu a crítica. Comentando na publicação de Manuela, ele alegou que ela está exagerando. “Boa noite, Manuela, tudo bem? Olha, primeiramente eu acho que você está exagerando nas observações, pois a gente faz música pra homem e pra mulher. Uma mulher pode cantar para um homem essa letra, ela é unissex”, começou.

“É uma música alegre, descontraída, para as pessoas se divertirem cantando. Sou totalmente a favor de sua causa, estou com você. Agora, vir criticar meu trabalho induzindo as pessoas a pensarem que é uma música machista, não. Foi feita pra mulher cantar também”, concluiu.

A psicanalista respondeu a dupla de Israel, dizendo que ele tem que aprender sobre o assunto. “Rodolffo, você se equivoca duplamente. Eu sou uma mulher. Eu sei o que é cultura do estupro. Não será você, um homem, a me dizer o que é ou não machista, até porque isso seria muito machista, concorda? Converse com mulheres. Converse com coletivos feministas. Nesse vídeo eu explico perfeitamente o por que dessa música ser um erro. Gaste 5 minutos do seu tempo e aprenda”, escreveu.

A postagem conta com mais de 14 mil comentários, a maioria em apoio a Manuela e a todas as mulheres.