Menino de Anápolis, queimado com mingau inicia tratamento com fisioterapeuta

A criança ficou 42 dias internada no Hugol e a família precisou de ajuda financeira para comprar os medicamentos

Criança queimada com mingau em Anápolis
A criança retornou para casa, em Anápolis, na noite dessa quarta-feira (22). (Foto: Arquivo Pessoal)

O menino de dois anos que teve 20% do corpo queimado com mingau, em Anápolis, recebeu alta hospitalar na noite dessa quarta-feira (22), após 42 dias internado no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol). Segundo os familiares, a criança ainda está em choque com o acidente e vai iniciar tratamento com fisioterapeuta.

À reportagem, a irmã disse que a criança sente medo e se esquiva quando alguém o pega no colo. “Ele ainda não anda e ainda fala poucas palavras, como ‘mamãe’, se pegarmos ele rapidamente, ele desvia e é bem evidente que ainda está em choque”, afirma Darga.

Quando questionado sobre acompanhamento com psicólogo, a família afirmou que foi instruída pelos médicos, que nesses primeiros meses é importante priorizar o convívio com os irmãos e o retorno da rotina.

“É uma felicidade  enorme ter ele em casa com saúde. Os médicos disseram que ele nasceu de novo”, conta a irmã da criança. “Graças a todas as doações, compramos tudo que foi receitado para ele”, ressalta sobre o dinheiro arrecada com a vaquinha online.

Relembre o caso

A criança estava internada desde o dia 9 de maio, após puxar um prato de mingau quente que caiu sobre o corpo do menino. Além de 20% do corpo queimado, enquanto esteve internado a criança também desenvolveu pneumonia.

A família precisou de ajuda e montou uma vaquinha online para manter a família e comprar os medicamentos receitados ao menino. “A nossa prioridade é deixar ele o mais confortável possível. Graças a Deus todas as queimaduras já estão cicatrizadas”, afirma Darga.