Jovem é condenado a 51 anos de prisão por matar motorista e criança após discussão no trânsito

Confusão começou depois que a vítima encostou a traseira do veículo na parte dianteira do carro do acusado

Justiça condenou o jovem Jhonan Ferreira Brandão, que matou duas pessoas e feriu uma terceira após uma discussão no trânsito em Aparecida
Jovem é condenado a 51 anos de prisão por matar duas pessoas após discussão no trânsito (Foto: TV Anhanguera)

A Justiça de Goiás condenou o jovem Jhonan Ferreira Brandão, de 27 anos, a 51 anos de prisão, nesta terça-feira (2). Isso porque, em 2013, o rapaz matou duas pessoas e feriu uma terceira a tiros após uma discussão no trânsito, em Aparecida de Goiânia.

Conforme expôs o juiz Leonardo Fleury Curado Dias, o cumprimento da pena ocorrerá em regime inicialmente fechado. O réu, que já se encontrava preso, também não poderá recorrer da sentença em liberdade.

Ao calcular a pena, o magistrado levou em conta as atenuantes por Jhonan ter confessado os crimes espontaneamente e também por ser menor de 21 anos à época dos fatos. No entanto, considerou como agravante a intensidade do dolo e ainda a conduta social do rapaz, com o uso de drogas ilícitas e a prática de outros delitos.

Relembre

As vítimas fatais foram Edson Teixeira Aires, que dirigia o carro, e a sobrinha dele, Ana Clara Teixeira Tavares, de apenas 7 meses, passageira. Uma terceira pessoa, Angélica Teixeira Tavares, ficou ferida mas sobreviveu. Ela é irmã de Edson e mãe da criança.

De acordo com a denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO), quando os crimes foram cometidos, em 2013, Jhonan tinha apenas 18 anos e não possuía antecedentes criminais. Na época, ele atirou contra as vítimas porque Edson, que conduzia outro carro, tentou estacionar em uma avenida muito movimentada e acabou encostando seu veículo na parte dianteira do carro do acusado.

Por não querer confusão, Edson deixou o local junto com a irmã e a sobrinha bebê, mas foi perseguido por Jhonan, que andava armado. Sem descer do veículo, o jovem atirou contra as vítimas, que não tiveram chance de defesa.

Edson morreu na hora. A garota de 7 meses chegou a ser socorrida, mas faleceu alguns dias depois no hospital. Já Angélica, mesmo ferida, conseguiu sobreviver após um período de internação hospitalar.