Suspeito de aplicar golpe em venda de celulares em Manaus é preso em Goiânia

Os golpes na venda de celulares aconteciam pela internet e fez pelo menos sete vítimas no Amazonas

Fachada da delegacia do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC). Foto ilustra a chamada: Suspeito de aplicar golpe em venda de celulares em Manaus é preso em Goiânia
Suspeito de aplicar golpe em venda de celulares em Manaus é preso em Goiânia (Foto: Jucimar de Sousa - Mais Goiás)

Um jovem de 18 anos está preso suspeito aplicar golpe em venda de celulares pela internet. Segundo a Polícia Civil, o rapaz criava contas no Instagram, de vários seguidores, para anunciar celulares por preços cerca de 30% à 40% abaixo do valor de mercado. Assim, fez vítimas em todo Brasil, sendo que sete delas foram apenas da cidade de Manaus, no Amazonas, causando-lhes um prejuízo de cerca de R$ 6 mil.

De acordo com a polícia, todos os golpes aconteceram nos últimos quatro meses, contra pessoas de diversas cidades brasileiras, sobretudo em Manaus (AM). Segundo o delegado do caso, Olemar Santiago, as vítimas eram induzidas pelo preço convidativo.

“Quando as vítimas acenavam pelo interesse em concretizar a compra, os criminosos indicavam uma conta para depósito. A pessoa depositava o valor combinado e eles cessavam qualquer tipo de contato com a vítima e não entregavam o produto”, explicou o delegado.

Contas de depósito para golpe em venda de celulares eram de Goiânia

Segundo a investigação, ao analisar que o suspeito sempre agia da mesma forma, descobriu-se também que os beneficiários das quantias do golpe moram em Goiânia, mesmo que a maioria das vítimas fosse do norte do país.

Após o recebimento das informações por parte da Delegada responsável, os investigadores do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes, iniciaram as buscas pela identificação e localização do suspeito, tendo a captura dele ocorrido no Jardim Curitiba, na capital goiana.

O investigado responderá por estelionato, praticado por seis vezes, estando agora recolhido na unidade prisional.