Justiça afasta conselheiro tutelar suspeito de ameaçar ex com foto de filha armada em Jandaia

Além de afastá-lo do cargo, a decisão também mandou prender o conselheiro de forma preventiva

Justiça afasta conselheiro tutelar suspeito de ameaçar ex com foto de filha armada em Jandaia
Justiça afasta conselheiro tutelar suspeito de ameaçar ex com foto de filha armada em Jandaia (Foto: Reprodução - Arquivo Pessoal)

A Justiça  afastou do cargo de conselheiro tutelar o suspeito de ameaçar a ex-esposa com uma foto da filha do casal segurando uma arma, em Jandaia. A menina tem apenas 4 anos de idade. Além disso, a decisão também ordenou a prisão preventiva do homem. Na denúncia, a vítima também acusa o conselheiro de atirar várias vezes para o alto na frente do trabalho dela.

A decisão foi publicada na tarde de terça-feira (16). Segundo o documento, o suspeito deve ser detido porque descumpriu a medida protetiva que, tem tese, o impedia de se aproximar da ex-mulher, entre outras restrições. “O demandado recebeu ordem de afastamento da ofendida e seus familiares, porém, não cumpriu as determinações”, escreveu o juiz Aluizio Martins Pereira de Souza.

O magistrado também avaliou que o conselheiro não deveria continuar no cargo que exerce. “É absolutamente incompatível o exercício da função pelo agressor com os atos em tese praticados, especialmente o expor a filha do casal a risco de vida ao entregar-lhe arma de fogo, bem como a utilização do veículo do Conselho Tutelar para descumprir as medidas protetivas já fixadas”, alegou.

Após ameaçar ex com foto da filha armada, conselheiro tutelar está foragido

Segundo a Polícia Civil, o conselheiro é considerado foragido e está sendo procurado pela corporação nesta quarta-feira (17). Antes de fugir, ele teria efetuado uma série de disparos de arma de fogo na frente do local de trabalho ex-mulher. Em entrevista ao G1, o homem negou ser o autor dos tiros.

Além disso, alegou que arma que a filha segura na foto é de brinquedo e não considerou a atitude “inapropriada”. “Eu acho que se fosse inadequado não tinha venda”, ele avaliou.

Relembre a denúncia

Na denúncia, a mulher explica que além da criança de 4 anos, que aparece na imagem a segurar a arma, o casal tem outra filha de um ano. Ainda segundo ela, as ameaças e episódios de violência psicológica ocorriam desde que o casal estava junto.

Antes de se separarem, o homem mandou para a esposa uma foto da filha mais velha com uma arma na mão para convencê-la a não levar a separação adiante. O efeito foi contrário: a mulher decidiu acelerar o divórcio. “A única coisa que eu queria era paz para mim e para minhas filhas, porque nós não estamos tendo”, pediu.

Logo depois da separação, a vítima explica que conseguiu uma medida protetiva contra o ex-marido. A Justiça concedeu a medida de proteção à mulher com base “na série de ameaças, agressões físicas e verbais”. Apesar da medida, o homem continuou ameaçando e perseguindo a mulher.
Há um registro de troca de mensagens entre a mulher e o ex em que o homem a ameaça de morte. Na ocasião, ele escreveu: “Não tenta dificultar o meu acesso com minhas filhas não, porque assim já não damos certo mais. E se você sonhar em atrasar o meu lado com minha filha eu vou ter que mata você. Tô avisando (sic)”.
Leia Mais
*Larissa Feitosa compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Hugo Oliveira.