Justiça do DF determina que policial presa por stalking seja internada para tratamento psiquiátrico

A Justiça considerou a mulher culpada por denunciação caluniosa, fraude processual e violação de domicílio

Justiça do DF determina que policial presa por stalking seja internada para tratamento
Justiça do DF determina que policial presa por stalking seja internada para tratamento (Foto: Divulgação - TJDFT)

A agente da Polícia Civil do DF, Rafaela Luciane Motta Ferreira, de 40 anos, deve ser internada em instituição para tratamento psiquiátrico. A decisão é do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e veio em sentença de ação penal que julgou agressões da ré contra o ex-namorado, que também compõe a corporação.

“Observa-se que o exame psiquiátrico realizado em incidente de insanidade mental apontou, de maneira conclusiva, que a acusada, à época dos fatos, era inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito de sua conduta”, apontou o juiz Francisco Marcos Batista.

Atualmente a mulher está no Presídio Feminino do DF, que fica no Gama. Ela foi presa no fim do ano passado após esfaquear o ex-companheiro, além de ameaçá-lo de morte e dizer que ele a estuprou, o que não aconteceu.

A sentença da Vara Criminal e Tribunal do Júri do Guará a considerou culpada por denunciação caluniosa, fraude processual e violação de domicílio.

Ainda conforme a decisão, a agente deve ficar internada pelo prazo mínimo de um ano. “O local do tratamento deverá ser definido pelo Juízo da execução penal, após decorrido o trânsito em julgado”, completou o magistrado.

De acordo com a coluna “Na Mira”, do Metrópoles, além dessa condenação, o delegado de polícia caluniado pela ré entrou com outra ação penal, no valor de R$ 150 mil, por danos morais.