FolhaPress

Líderes da igreja Renascer também tomam vacina contra Covid nos EUA

Estavam Hernandes e Sõnia foram vacinados contra o vírus na semana passada

Líderes da igreja Renascer também tomam vacina contra Covid nos EUA
Líderes da igreja Renascer também tomam vacina contra Covid nos EUA (Foto: reprodução/Youtube)

Depois do bispo Edir Macedo, outros dois líderes evangélicos viajaram para os EUA na semana passada para tomar vacina contra a Covid-19.

Estevam Hernandes, 67 anos, e sua mulher, Sonia, 62, líderes da Igreja Renascer em Cristo e da TV Gospel, foram vacinados contra o vírus na semana passada, na Flórida.

Se ficassem no Brasil, de acordo com a idade, ambos deveriam esperar um bom tempo até chegar sua vez.

No próximo dia 5 de abril, São Paulo deve começar a vacinar pessoas a partir dos 68 anos.

Flórida vira “capital da vacina”

No último dia 18, o bispo Edir Macedo e sua mulher, Ester, também tomaram vacina em Miami, como esta coluna publicou.

Porém, diferentemente de Macedo, o casal Hernandes (os três são bolsonaristas, aliás) não se comportou como negacionista, não espezinhou e nem duvidou da doença, tampouco a atribuiu a “Satanás”, como Macedo o fez em vídeo.

O líder da Universal acabou contraindo o vírus e teve de ser internado em São Paulo.

Apesar disso, os Hernandes mantiveram cultos presenciais nas últimas semanas, a despeito do agravamento do contágio.

Os fiéis eram obrigados a assinar uma declaração de que estavam cientes da pandemia, e que manteriam distância mínima de dois metros dos demais.

Os dois líderes também não deixaram de tentar persuadir os fiéis da Renascer a manter os pagamentos de dízimos, fazer doações e realizar os “desafios” (geralmente doações extras). Sonia Hernandes também chegou a comparar o coronavírus às pragas bíblicas.

Macedo escolheu a vacina da Janssen (Johnson), segundo a coluna apurou. Os líderes da Renascer não revelaram sua escolha.

Apesar de já terem sido presos nos EUA, eles cumpriram toda a pena e hoje estão liberados para seu trabalho missionário naquele país.

Outro líder religioso que foi infectado pelo vírus foi Silas Malafaia, que está em confinamento após ter sido diagnosticado com o vírus.