Linha de pipa com cerol pode ter causado morte de piloto de paraplano, em Aparecida (GO)

Amigo da vítima alega que linhas de pipa com cerol provocaram a queda e morte do piloto

Polícia investiga morte de piloto de paraplano, em Aparecida de Goiânia (Foto: Reprodução - Internet)

A Polícia Civil vai investigar a morte do piloto de paraplano, Marcelo Nunes Rodrigues, de 52 anos. No final da tarde desta terça-feira (21), ele sobrevoava o Jardim Mont Serrat, em Aparecida de Goiânia, quando uma das cordas da aeronave arrebentou, caiu e pegou fogo.

O instrutor de paraplano e amigo da vítima, Itiel Lima, alega que linhas de pipa com cerol provocaram a queda e, por consequência, a morte do amigo. Ele gravou o momento do acidente. Veja abaixo.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Mais Goiás (@maisgoias)

“Infelizmente, uma pipa com linha de cerol cortou todas as linhas do paraplano. Com isso, ele caiu na vertical, o tanque de combustível estourou e, como o motor estava quente, ele teve o corpo parcialmente carbonizado”, disse o amigo ao G1.

Devido ao incêndio, o Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado. No entanto, de acordo com a corporação, quando a equipe cheogu ao local o fogo já estava extinto. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atestou o óbito da vítima, parcialmente carbonizada e o local ficou aos cuidados da polícia.

Imagens feitas após o acidente que matou o piloto mostram linhas, que estariam com cerol, enroladas ao equipamento dele.

Piloto morre e tem parte do corpo queimado após queda de paraplano, em Aparecida de Goiânia; vídeo (Foto: Reprodução – TV Anhanguera)

O delegado Carlos Levergger, que está responsável pelo caso, informou que já solicitou as perícias necessárias “no intuito de apurar as circunstâncias reais do fato, e se houve influência de terceiros no resultado”. Além disso, testemunhas estão sendo chamadas para falar sobre o caso. Confira a nota na íntegra abaixo.

“A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do 5º DP de Aparecida de Goiânia, informa que ao tomar conhecimento do acidente aéreo, ocorrido no início da noite de 21/06/22, no Residencial Storil, Aparecida de Goiânia, no qual o piloto veio a óbito por queda de altura incerta, procedeu os levantamentos necessários, acionamento de perícia no local, instaurando o devido Inquérito Policial, onde as testemunhas estão sendo intimadas para esclarecimentos e aguardando os Laudos periciais, para conclusão das investigações, no intuito de apurar as circunstâncias reais do fato, e se houve influência de terceiros no resultado”.