Lissauer revoga ato que definiu composição da CPI da Saúde, na Assembleia Legislativa

Lissauer Vieira deu dez dias para partidos indiquem nomes para a Comissão, que foi formada por maioria de oposição

Presidente da Assembleia revoga ato que instaurou CPI da Saúde
Presidente da Assembleia revoga ato que instaurou CPI da Saúde (Foto: Jucimar de Sousa - Mais Goiás)

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), revogou, nesta quinta-feira (9), o ato que definiu a composição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, com maioria de membros da oposição. A assessoria do parlamentar confirmou a informação ao Mais Goiás.

Segundo a assessoria do presidente, a composição não atendeu aos requisitos do regimento da Casa. Apesar das 14 assinaturas pela instauração, não houve consulta aos partidos, que podem indicar membros conforme critério de proporcionalidade. O presidente, então, deu dez dias para as legendas fazerem as suas indicações.

A primeira lista de deputados escalados para formar a CPI veio a público na quarta-feira (8). O autor do pedido para instalar a comissão é Humberto Teófilo (PL), que seria o relator. Nesta composição, que foi revogada, Hélio de Sousa (PSDB) seria o presidente, enquanto Paulo Trabalho (PL), o vice.

Da base governista, comporiam o colegiado os deputados estaduais Dr. Antônio (União Brasil) e Wilde Cambão (PSD). O requerimento de Teófilo foi apresentado em 12 de abril, enquanto o ato de nomeação dos membros em 1º de junho. O intuito da CPI é apurar possíveis problemas em atendimentos em unidades de saúde de Goiás.

Assinaturas para instaurar a CPI

Manifestaram-se favoráveis à abertura da CPI da Saúde os deputados Humberto Teófilo (Patriota), Helio de Sousa (PSDB), Cláudio Meirelles (PL), Antônio Gomide (PT), Lêda Borges (PSDB), Major Araújo (PL), Alysson Lima (PSB), Delegada Adriana Accorsi (PT), Gustavo Sebba (PSDB), Delegado Eduardo Prado (PL), Zé Carapô (Pros), Paulo Cezar Martins (PL), Sérgio Bravo (PSB) e Paulo Trabalho (PL).