Live semanal: Bolsonaro confirma que irá assinar RRF para Goiás

A homologação deve ser assinada às 11h30 desta sexta-feira (24), no Palácio da Alvorada, em Brasília

Em live, Bolsonaro confirma que irá assinar RRF para Goiás
Em live, Bolsonaro confirma que irá assinar RRF para Goiás (Foto: Reprodução - Youtube)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou, durante live semanal publicada no Youtube na quinta-feira (24), que irá assinar a homologação da adesão do Estado de Goiás ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF).  Segundo ele, o pedido será atendido, pois “quem entende melhor de contas é o respectivo governador”. A homologação deve ser assinada às 11h30 desta sexta (24), no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Ao lado do deputado federal Major Vitor (PSL), Bolsonaro disse que Caiado deve ter assumido a gestão com o Estado com contas não sanadas. “Eu não conheço as contas de Goiás, mas se o governador entrou com o pedido é para atender às suas metas. Amanhã [hoje] a gente deve homologar isso. Alguns vão pagar o preço”, apontou.

Major Vitor Hugo, que fez críticas à adesão de Goiás ao RRF, adotou um tom mais conciliador. O deputado disse que atuou para dar transparência ao processo.

“A minha cobrança em particular é que houvesse a publicidade do Plano de Recuperação Fiscal. Foi publicado, é bem extenso. Houve algumas ressalvas por parte do governador, por exemplo, separando recursos para concursos públicos, aumentos, restruturação de carreira”, assinalou Vitor Hugo.

Assinatura do RRF para Goiás ficou por um fio

A assinatura do RRF acontece após mal-estar causado por declarações feitas durante a live presidencial na semana passada, quando Bolsonaro, também ao lado de Vitor Hugo, disse que esperaria “um pouco” para autorizar a entrada de Goiás no regime.

A mudança no discurso é fruto de articulação, nos bastidores, de ministros e parlamentares, como o recém empossado André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal, e Ciro Nogueira, da Casa Civil.

RRF foi uma luta de governo

A adesão de Goiás ao RRF foi encampada pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) desde o início da gestão. Para isso, foi preciso aprovação da Assembleia Legislativa de Goiás, além de adequações fiscais e decisão do Supremo Tribunal Federal.

O RRF suspende pagamento da dívida com a União em troca de medidas de ajuste fiscal. Com isso, segundo cálculo da Secretaria de Economia, Goiás deixará de pagar R$ 2,5 bilhões anuais, com juros e amortização de empréstimos.