Mãe de Daniel Silveira escreve carta a Moraes e pede liberdade do filho: ‘É um homem bom!’

Deputado está preso desde o último dia 24 de junho após tentar romper a tornozeleira eletrônica

Deputado está preso desde o último dia 24 de junho após tentar romper a tornozeleira eletrônica
Deputado está preso desde o último dia 24 de junho após tentar romper a tornozeleira eletrônica (Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados)

A mãe do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), Matildes Silveira, escreveu uma carta a próprio punho endereçada ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, onde pede desculpas pelas atitudes do filho e pede a liberdade dele. O deputado estava sendo monitorado pela Justiça depois de publicar o vídeo em que atacava a corte e defendida o AI-5, ato de repressão da ditadura. Porém, ele foi detido no último dia 24 de junho por violar o uso da tornozeleira eletrônica.

O documento manual está assinado em 11 de julho e, nele, Matildes afirma que a atitude do filho é “digna de repúdio e em nada contribui para um debate democrático e respeitoso.” Ela também exalta o STF por ser “a última barreira entre a justiça e a injustiça”.

Ela continua dizendo que criou Silveira com “amor, carinho e educação” e que “a falta de urbanidade, o desrespeito e a deselegância (com que tratou os ministros e a democracia) não condiz com os ensinamentos familiares que foram passados a ele”.

A mãe ainda afirma que a emoção e um “sentimento de momento” fizeram com que o filho perdesse a razão. Algo que, segundo ela, não teria ocorrido caso o deputado tivesse “dormindo uma noite” de sono. Matildes ainda diz na carta que o filho é “um homem bom”.

Ajuda nas atividades domésticas

Matildes destacou no documento que se sente envergonhada e que não estava pedindo a absolvição do filho e, sim, que ele responda em liberdade e possa voltar a ajudá-la nas atividades domésticas.

Ela revela que, como todo ser humano, Daniel tem falhas, mas está “longe, muito longe, de ser um criminoso”. Além disso, ela garantiu que os ataques não vão se repetir: “Me encarreguei pessoalmente de cuidar deste assunto.”

“Sou uma idosa viúva que já perdeu um filho jovem em morte prematura e que tem no Daniel a base para tudo, meu porto seguro, e tenho sofrido muito com toda essa situação, me colocando em uma situação análoga à perda de mais um filho.”

Na carta, Matildes diz que “nunca passou panos quentes nas falhas cometidas” pelo deputado ao longo da vida. “Acredito veementemente que ele já entendeu que errou, pois conheço meu filho.”

Além disso, ela conta que Silveira perdeu o aniversário da filha, de 5 anos, em março, quando foi detido pela primeira vez (antes de ser beneficiados com a prisão domiciliar) e pode perder o dela, que acontece no próximo dia 24. “Gostaria de tê-lo perto de mim.”

Antes de se despedir, Matildes deseja “um dia, quem sabe, tomar um café pessoalmente, para uma conversa sobre dias melhores”. No processo ainda não há resposta de Moraes ao apelo. O documento é apenas de três dias após o envio da carta.

*Com informações da Valor Econômico