Matéria que isenta motos de pedágios em Goiás volta ao plenário semana que vem

Texto que começou a tramitar em 2017 chegou a ser aprovado em primeira votação, em agosto deste ano, mas entrou em novo hiato provocado por projetos polêmicos

Talles Barreto afirma que PL foi removido das pautas para dar lugar a projetos polêmicos

Desde 2017, tramita na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) uma matéria que dispõe sobre a isenção do pagamento de pedágios para motocicletas nas rodovias federais e estaduais, no Estado. O texto do deputado Talles Barreto (PSDB) e do então parlamentar Jean Carlo chegou a ser aprovado em primeira votação no dia 15 de agosto, com previsão de retorno ao plenário na próxima semana, indica o tucano.

O deputado Talles disse que optou por colocá-la nesse momento para não gerar confusão, uma vez que nas últimas semanas temas polêmicos foram tratados na Casa, como a PEC da Educação, que junta 2% dos recursos da Universidade Estadual de Goiás (UEG) aos 25% da educação básica, e a matéria que autoriza o uso de 70% dos depósitos judiciais para pagamento de precatório, advogados dativos, Previdência e dívidas com a União. Essas duas foram aprovadas nessa semana.

“Então vamos colocar ele agora. Projeto nosso, meu e do Jean Carlo. É uma forma importante de desonerar motociclistas que utilizem o veículo para trabalho ou para lazer”, avaliou ele, que lembrou, ainda, já existir uma proposta na Casa que prevê pedágios nas rodovias estaduais. “Então é, também, preventivo.”

Em relação à origem, Talles Barreto explica que, à época, a matéria foi pensada por inspiração em outros Estados, que já não cobram esse pedágio, mas também por conta de alguns grupos que o procuraram. “Achamos a necessidade de aplicar aqui”, finaliza.