MEC dá posse a Angelita Lima como nova reitora da UFG

Devido ao aumento no número de casos de Covid-19 e de a própria professora ter sido diagnosticada com a doença, não haverá cerimônia, por enquanto

MEC dá posse a Angelita Lima como nova reitora da UFG
MEC dá posse a Angelita Lima como nova reitora da UFG (Foto: UFG - Divulgação)

O Ministério da Educação (MEC) encaminhou à Universidade Federal de Goiás (UFG), nesta sexta-feira (14), termo de posse para nomeação da Angelita Lima como nova reitora da instituição. Devido ao aumento no número de casos de Covid-19 e de a própria professora ter sido diagnosticada com a doença, não haverá cerimônia, por enquanto.

No entanto, conforme comunicado da UFG, a nova reitora está “devidamente empossada e em pleno exercício de suas funções”. Angelita Lima irá conceder, de forma remota, uma entrevista coletiva, às 14h desta sexta-feira, como nova gestora da instituição.

“Informamos que a reitora encontra-se bem, submetendo-se aos protocolos definidos pela médica que a acompanha”, completa o comunicado sobre o estado de saúde da nova gestora.

Escolha do MEC por Angelita Lima é considerada interferência no processo eleitoral da UFG

A posse de Angelita Lima como nova reitora da UFG é criticada pela comunidade acadêmica pela interferência na autonomia da universidade. Já que o MEC a nomeou apesar do resultado das eleições realizadas na instituição ter indicado Sandramara Matias Chaves.

Angelita Lima era o terceiro nome da lista tríplice elaborada pelo Conselho Universitário da UFG (Consuni), que também constava a própria Sandamara e Emmanuela Ribeiro Hora.

Entidades e estudantes chegaram a protestar contra a nomeação de Angelita Lima por considerarem que houve interferência direta do governo Jair Bolsonaro (PL) no resultado das eleições da UFG.