Mecânico quer adotar bebê que resgatou em lixeira, no Recife: “Agradeci a Deus”

Menina foi achada suja de sangue e com cordão umbilical

Menina foi achada suja de sangue e ainda com cordão umbilical. Mecânico quer adotar bebê que resgatou em lixeira, no Recife
(Foto: Redes Sociais)

O mecânico Luiz Paulo Silva, 35 anos, que no último domingo (13) resgatou uma bebê recém-nascida de uma lixeira em Cabo de Santo Agostinho, no Recife, demonstrou interesse em adotar a criança. O caso aconteceu quando Luiz seguia para uma pescaria com um amigo.

Segundo o mecânico, quando ele encontrou a menina no cesto de lixo, ela estava suja de sangue, enrolada em um lençol e ainda com o cordão umbilical.

“Eu estava indo pescar com um amigo e parei quando escutei o choro de uma criança. Quando parei para procurar encontrei a bebê dentro da lixeira. Ela estava dentro de uma caixa e eu levei logo para casa e minha esposa amamentou ela porque temos uma criança que ainda está mamando em casa”, disse Luiz Paulo.

Posteriormente, a bebê foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Após ser atendida na unidade de saúde, a recém-nascida foi levada para o Hospital Infantil do Cabo e, depois, encaminhada para a Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos. Segundo a equipe médica que a atendeu, a criança passa bem.

O caso foi comunicado ao Conselho Tutelar de Cabo de Santo Agostinho. Os pais da menina ainda não foram localizados e nem identificados pela polícia do município.

Após receber alta, a recém-nascida deverá seguir para um abrigo e, possivelmente, entrará na lista para adoção.

O mecânico demonstrou interesse em adotar a criança. No entanto, é preciso entrar na fila de adoção para ficar com a garota, caso nenhum familiar dela for localizado pela Justiça.

“Senti uma tristeza muito grande quando vi aquela menininha dentro daquela caixa. Mas, ao mesmo tempo, agradeci a Deus por ter passado por ali naquela hora. Se ninguém tivesse encontrado ela logo, era capaz da bebê morrer. Ela estava toda suja de sangue e chorando muito. Quero muito poder adotar essa criança”, disse Luiz.

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado na Delegacia do Cabo de Santo Agostinho e será instaurado inquérito policial para apurar o caso.

*Com informações do UOL