Mendanha critica seu ex-partido: “nunca tinha visto o MDB se curvar”

Gustavo Mendanha disputará eleição para governador com Heuler Cruvinel na vice

Gustavo Mendanha informa bens em R$ 946 mil à Justiça Eleitoral
Gustavo Mendanha informa bens em R$ 946 mil à Justiça Eleitoral (Foto: Jucimar de Sousa)

Ex-prefeito de Aparecida de Goiânia e agora candidato ao governo de Goiás, Gustavo Medanha (Patriota) fez duras críticas ao seu ex-partido, MDB, durante a convenção que oficializou a sua candidatura a governador. Mendanha afirma que, ao se unir ao projeto de reeleição do governador Ronaldo Caiado (UB), o MDB “se curvou”.

“Nunca vi o MDB se curvar a partido ou político. Pelo que aprendi com Maguito e Iris Rezende que decidi colocar meu nome à disposição”, disse o político, que deixou a sigla do ano passado após a mesma declarar apoio a Caiado.

A convenção aconteceu na tarde desta sexta-feira (5). A chapa de Mendanha terá com vice o ex-deputado federal Heuler Cruvinel (Patriota). Gustavo disse tê-lo escolhido por ser católico e ligado ao agronegócio.

“Represento uma região importante, a sudoeste do Estado. Que necessita de mais infraestrutura, saúde e educação, como todo estado. Também represento o agro, responsável por 35% de todos os empregos e 33% do PIB do Brasil”, afirmou Heuler.

Já o candidato ao Senado na chapa, deputado federal João Campos, declarou que Mendanha é quem tem capacidade de governar Goiás. “Precisamos colocar um ponto final na soberba, no autoritarismo. Precisamos de alguém que governa respeitando adversários e as pessoas. Alguém que não use as estruturas do estado para meter medo”.

Segundo ele, Gustavo é a revelação política de Goiás. “Com 39 anos é experiente e experimentado”, enfatizou. Sobre o próprio projeto, ele afirma que quer ser a voz da segurança pública no Senado. “Serei a favor da vida, contra o aborto, contra as drogas. A favor do livre comércio”, enumerou.

Outras participações

O senador Jorge Kajuru (Podemos), que também marcou presença, disse que estava no evento por gratidão a Jorcelino Braga, presidente do Patriota. Segundo ele, mantém amizade com Ronaldo Caiado (União Brasil), mas apoiará Mendanha. “Mas não vou apoiar Mendanha só por causa do Braga. Um prefeito que foi reeleito com mais 95% não é à toa. Goiás precisa mudar sua forma de governar. Hoje temos um governo mal cercado. O de Mendanha será um governo que sabe se cercar bem, com gente boa, que sabe dar exemplo”, não citou nomes.

Ex-vice de Gustavo, o atual prefeito Vilmar Mariano (Patriota) também discursou brevemente. Representantes do Pros – que voltou para Eurípedes Júnior nacionalmente e deixou a base de Ronaldo Caiado para se juntar a Mendanha -, Mobiliza, Agir, Mais Brasil e DC também marcaram presença.