Ministro da Educação visita Anápolis para criação de universidade

UniEvangélica deixa de ser Centro Universitário, nesta segunda-feira

Ministro da Educação visita Anápolis para criação de universidade
Ministro da Educação visita Anápolis para criação de universidade (Foto: UniEvangélica)

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, visita Anápolis, nesta segunda, para assinar portaria ministerial para criar a Universidade Evangélica de Goiás (UniEvangélica). Criada em 1947 como Associação Educativa Evangélica, em 24 de maio de 2021, 74 anos depois, o governo federal publicou no Diário Oficial da União um parecer do Conselho Nacional da Educação (CNE) que confirmou a alteração do status da instituição de ensino.

Hoje, a UniEvangélica é um Centro Universitário. A assessoria da instituição explica que para se tornar uma Universidade é preciso mais força em “ensino, pesquisa e extensão”, ou seja, um fortalecimento de “dentro para fora”, com mais mestres e doutores. Além disso, segundo a comunicação, o Ministério da Educação (MEC) recomenda, como diferencial, que uma universidade ofereça quatro mestrados e dois doutorados, o que já ocorre na prática na UniEvangélica.

“É um sonho dos nossos fundadores, que há 74 anos sonharam que o Colégio Couto Magalhães pudesse se transformar em universidade. É como eu costumo dizer, nós devemos essa conquista a eles, que fundaram as bases para o desenvolvimento institucional. É uma mudança significativa na vida da instituição, aumenta a nossa responsabilidade em relação à qualidade do ensino, pesquisa e extensão e agrega a geração de conhecimento, ampliando as pesquisas realizadas”, diz o reitor Carlos Hassel Mendes.

Na ocasião, o prefeito Roberto Naves e o governador Ronaldo Caiado (DEM) também estarão presentes, além de deputados e outras autoridades.

Mantenedora

A Centro Universitário é mantido pela Associação Educativa Evangélica (AEE), que mantém dez instituições de ensino em todo o Estado. A mantenedora é presidida por Augusto César Ventura, que se tornará o chancelar a UniEvangélica.

Segundo Augusto, a missão, desde a fundação da AEE, é contribuir com a educação e a formação de crianças, jovens e adultos do Estado de Goiás e de outras regiões do nosso Brasil. “A primeira instituição mantida pela Associação Educativa Evangélica foi o Colégio Couto Magalhães, criado no ano de 1932, em Anápolis. De lá para cá, a UniEvangélica já foi Faculdades Integradas, Centro Universitário e agora atingiu o grau de Universidade Evangélica de Goiás, um marco histórico para a comunidade”, celebrou.

Cronograma

Destaca-se, desde os anos 1970 já constava nos documentos da fundação “Universidade Evangélica de Anápolis” e, nesta segunda, será oficializada como Universidade Evangélica de Goiás. Mas a história começa antes. Confira:

1947 – Fundação

A Associação Educativa Evangélica foi fundada por um grupo de cristãos para manter escolas rurais e urbanas em todos os níveis. Aqui ocorre a primeira menção de criação de uma universidade, no futuro.

1961 – Faculdade de Filosofia

Em 1961 foi inaugurada a Faculdade de Filosofia Bernardo Sayão.

1993 – Faculdades Integradas

A Faculdade de Filosofia Bernardo Sayão, a Faculdade de Direito de Anápolis, a Faculdade de Odontologia João Prudente e a Faculdade de Filosofia do Vale de São Patrício, situada em Ceres/GO, funcionavam isoladamente e em 1993 passaram a ser chamadas de Faculdades Integradas.

2004 – Credenciamento

O credenciamento como Centro Universitário foi obtido junto ao Ministério da Educação em 2004 e oficializado através da Portaria Ministerial número 628 publicada no Diário Oficial da União.

2012 – Recredenciamento

Em 2012, ocorre recredenciamento através da Portaria 106 de 8 de fevereiro de 2012.

2021

Assinatura da portaria ministerial que oficializa a transformação do Centro Universitário de Anápolis em Universidade Evangélica de Goiás (UniEvangélica).

Foto da “Universidade Evangélica de Anápolis”, nos anos 1970 (Foto: Arquivo / UniEvangélica)