Moraes prorroga inquérito que apura se Bolsonaro interferiu na PF

Inquérito foi aberto com base em acusações do ex-ministro Sergio Moro. Bolsonaro nega interferência

Moraes prorroga inquérito que apura se Bolsonaro interferiu na PF
Moraes prorroga inquérito que apura se Bolsonaro interferiu na PF - (Fotos: Nelson Jr./STF e Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, prorrogou por mais 90 dias o inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro (PL) interferiu na Polícia Federal. O inquérito foi aberto em 2020 a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), e tem como base acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro. O prazo das investigações acabaria no dia 27 de janeiro.

“Considerando a necessidade de prosseguimento das investigações e a existência de diligências em andamento, nos termos previstos no art. 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 (noventa) dias, a partir do encerramento do prazo final anterior (27 de janeiro de 2022), o presente inquérito”, diz Alexandre de Moraes na decisão.

Interferência na PF

Moro havia dito quando anunciou a saída do ministério, que Bolsonaro tentou interferir em investigações da PF ao cobrar a troca do chefe da Polícia Federal no Rio de Janeiro e ao exonerar o então diretor-geral da corporação, Mauricio Valeixo, indicado por Moro. O objetivo seria blindar investigações de aliados. Bolsonaro, desde então, tem negado a acusação.