Motores do avião que levava Marília Mendonça vão para Brasília

Inicialmente, a ideia era trazê-los para Goiânia

Polícia mantém duas linhas de investigação para a queda do avião de Marília Mendonça
Polícia mantém duas linhas de investigação para a queda do avião de Marília Mendonça (Foto: Reprodução)

Os motores da aeronave que levava a cantora Marília Mendonça irão para a sede do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), em Brasília. Lá eles devem ser examinados para tentar entender as causas do acidente que vitimou a artista e outras quatro pessoas.

Inicialmente, a ideia era trazê-los para Goiânia. Entretanto, o caminhão que transportava o material sofreu um desvio de rota. De acordo com o órgão, os motores irão primeiro para Brasília. Em seguida, serão transportados para outro lugar ainda não divulgado.

Destroços do avião foram para o Rio de Janeiro

Os destroços da aeronave que caiu com Marília Mendonça chegaram ao Rio de Janeiro para inspeção e perícia detalhada na noite da última terça-feira (9). O avião foi cortado em pedaços menores e transportado dor um caminhão. A aeronave caiu na cidade de Caratinga, em Minas Gerais, na sexta-feira (5). A queda matou a cantora e outras quatro pessoas.

As ações para retirar o bimotor começaram na manhã de domingo (7) após a aeronave ter sido retirada da correnteza da cachoeira, no sábado (6). As partes do avião chegaram no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro e deve passar por perícia em hangar da Aeronáutica. De acordo com o Centro de Serviços Aeronáuticos (CSA), os motores do avião serão enviados para Goiânia.

As asas da aeronave foram cortadas para facilitar o transporte. Os motores do avião que caiu com a cantora estavam em locais de difícil acesso e foram encontrados a cerca de 200 metros da aeronave. A remoção dos destroços foi feita em etapas.

Acidente de Marília Mendonça

Marília Mendonça morreu depois que o avião em que estava caiu na zona rural de Piedade de Carantinga, a cerca de 300 km de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Ela saiu de Goiânia por volta das 14 horas e seguia para um show que faria a noite na cidade mineira.

Junto com ela, estava seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e copiloto do avião, cujas identidades ainda não foram reveladas. Ninguém sobreviveu ao acidente.

A cantora chegou a postar um vídeo no seu Instagram mostrando o embarque na aeronave. De acordo com a PEC Aviação, empresa que presta serviços de Táxi Aéreo, o avião em que estavam as vítimas hoje era um modelo C90A da Beech Aircraft fabricado em 1984.

Com informações de G1