Motos furtadas por grupo preso pela PC eram revendidas como se não tivessem restrição

Para investigadores, adulteração na numeração do chassis e falsificação de documentos dos veículos roubados tinha alto grau de sofisticação

A maioria das motos furtadas por uma suposta quadrilha presa nesta quinta-feira (3) por agentes da Delegacia Estadual e Repressão aos Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) foi revendida como se não tivesse qualquer tipo de restrição. A afirmação é do delegado Marco Aurélio Euzébio, adjunto daquela especializada, e responsável pelas investigações.

Após os furtos das motos, realizados sempre com uma chave falsa, conhecida como “micha”, a suposta organização criminosa, segundo o delegado, adulterava a numeração dos chassis, falsificava o documento e então revendia os veículos através de redes sociais. “Na grande maioria dos casos o comprador não sabia que era produto de furto porque a adulteração que eles faziam era bem sofisticada, quase profissional mesmo. Exatamente por isso que nós estamos tendo dificuldade em localizar estas dezenas de motos que foram roubadas ao longo de pelo menos dois anos”, relatou.

Um revólver calibre 38 foi apreendido durante o cumprimento de mandados nesta manhã

Um revólver calibre 38 foi apreendido durante o cumprimento de mandados nesta manhã (Foto: divulgação/PC)

Durante a operação desta quinta-feira, que contou com a participação de 60 policiais civis, seis suspeitos acabaram presos e 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Nas casas de dois investigados os agentes apreenderam uma moto roubada no último dia 30 e um revólver calibre 38. Os presos responderão por furto qualificado, falsificação de documentos públicos, adulteração de sinal identificador de veículos e associação criminosa, delitos. Juntos, os crimes podem resultar em prisões por tempo superior a 20 anos.

A quadrilha, segundo Marco Aurélio Euzébio, atuava preferencialmente em Goiânia, e Aparecida de Goiânia. Um dos furtos foi registrado por câmeras de segurança (veja vídeo):