MPE quer cassar registro de vereadora de Palmeiras por suposta compra de votos

Taís Lopes aparece em vídeo em que supostamente troca votos por pagamento. Ela é filha do ex-prefeito da cidade, Ernane Lopes, que também aparece na gravação

O Ministério Público Eleitoral (MPE) interpôs representação contra a vereadora reeleita por Palmeiras de Goiás, Taís Lopes (PSDB), por suposta captação ilícita de sufrágio, compra de votos. Com isso, o órgão pleiteia cassação dos registros de candidatura ou de diploma da parlamentar. Ela aparece em vídeo em conversa com um cidadão que pede ajuda para pagamento de um talão de energia em troca de apoio. Procurada pela reportagem, a vereadora disse que não foi notificada pela Justiça Eleitoral.

A gravação mostra a candidata ao lado do pai, o ex-prefeito de Palmeiras de Goiás, Ernane Lopes, conversando com um homem identificado pelo Ministério Público como Renato Tcharlies. Ele diz que tem um talão de energia no valor de R$ 162,90, mas possui somente R$ 100 “no bolso” e entrega o talão à candidata. “Você pode ter certeza absoluta que um, dois votos, três, quatro, cinco, com minha mãe seis, com minha tia sete”, afirma.

A vereadora responde que irá contar com ele [o homem que pede pagamento da conta de energia] e que eleitores podem contar com ela. Após mais um diálogo, Taís apresenta um santinho com número dela como candidata à reeleição a vereadora por Palmeiras de Goiás. “45678.. você pode levar a colinha”, diz.

Ao Ministério Público, Renato Tcharlies disse que pediu ajuda financeira à candidata por “ser costume dela ajudar as pessoas”. Também ao órgão, Taís Lopes negou ter pago a fatura em troca de voto e que somente levou o talão por ter sido “pressionada” e “por medo”.

O Ministério Público representou contra a candidata por captação ilícita de sufrágio e solicitou cassação dos registros de candidatura ou de diploma. Além disso, aplicação de multa que varia de R$ 1.064 a R$ 53.205.