MTST ocupa bolsa de valores em SP contra fome e desigualdade – vídeo

"Aqui é negociada toda a riqueza do Brasil. Aqui são formados os bilionários do sistema financeiro. Aqueles que ficam ricos à custa da nossa pobreza"

MTST ocupa bolsa de valores em SP contra fome e desigualdade
MTST ocupa bolsa de valores em SP contra fome e desigualdade (Foto: Reprodução - Twitter)

O Movimento de Trabalhadores Sem Teto (MTST) realizou, nesta quinta (23), uma manifestação no prédio da bolsa de valores em São Paulo. O protesto foi contra o preço dos alimentos e contra a desigualdade social.

“Aqui é negociada toda a riqueza do Brasil. Aqui são formados os bilionários do sistema financeiro. Aqueles que ficam ricos à custa da nossa pobreza”, publicou no Twitter o perfil oficial do MTST.

Ainda segundo o movimento, na bolsa de valores se descobre dois “brasis”: “Um Brasil dos parasitas do mercado financeiro que vivem do rentismo e o outro em que os trabalhadores sobrevivem com um auxílio emergencial de 5,00 reais por dia.”

Além disso, o grupo afirma que existe um Brasil com safra recorde do agronegócio, ao mesmo tempo que 19 milhões de pessoas estão no mapa da fome e 9 milhões na extrema pobreza.

E ainda: “Um Brasil que negocia e entrega nosso petróleo para empresas estrangeiras e um Brasil onde a gasolina custa mais de R$ 6 e o gás mais de R$ 10, levando milhares de pessoas a cozinhar na lenha. Um Brasil no qual empreiteiras tomam conta do mercado imobiliário e do Plano Diretor e outro com mais de 6 milhões de famílias sem moradia e sem direito a cidade.”

A denúncia segue dizendo que a saúde virou mercadoria no País, com vacina negociada em escândalo de corrução – conforme é apurado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado -, enquanto mais de 580 mil pessoas morreram pela Covid-19 desde o início da pandemia.

Apoio ao MTST em Goiás

Pelas redes sociais, o ex-candidato à prefeitura de Goiânia pela UP e hoje membro do PT Goiás, Fábio Júnior, também protestou. “Uma manifestação do MTST na bolsa de valores chama atenção para a fome no Brasil.”

“Enquanto o número de bilionários cresceu de 45 para 65 (crescimento de 44%) entre 2020 e 2021, número de brasileiros em situação de insegurança alimentar passa de 100 milhões no Brasil”, completou Fábio Junior.