Mulher expõe na web agressões do ex-marido: “espalhava que eu era culpada”

Mulher disse que apesar de ser vítima, estava sendo culpada pelas violências. O suspeito nega os crimes

Ex-banda de músico acusado de agredir ex-mulher se manifesta sobre o caso
Segundo os demais integrantes, o motivo do fim da banda não havia sido divulgado antes "em respeito à própria vítima" das agressões (Foto: Reprodução - Redes Sociais)

A estudante Gabriela Batista, de 23 anos, expôs na web uma série de agressões supostamente cometidas pelo ex-marido, em Senador Canedo. O registro do boletim de ocorrência é de julho, mas a mulher só relatou o caso na internet no último domingo (17). A vítima diz que, além da violência física, o suspeito espalhava mentiras e dizia que ela era culpada. O homem nega as acusações.

Segundo o registro policial, o casal viveu junto por quase três anos e possui dois filhos pequenos. Conforme a vítima, as agressões físicas, verbais e psicológicas ocorreram desde o início do casamento, mas a denúncia só foi feita em julho, durante o processo de separação. De acordo com ela, uma agressão no dia 15 de julho foi o estopim.

“Por muito tempo eu aguentei porque a mãe dele dizia que a família tinha que vir em primeiro lugar. Dizia que eu deveria pensar nos meu filhos e que tudo poderia ser resolvido dentro de casa. Fiquei presa na ideia de que, por ser pai dos meus filhos, eu tinha que ficar com ele [agressor]”, explicou Gabriela ao Mais Goiás.

Segundo a mulher, a decisão de expor o caso na web foi tomada após mentiras contadas pelo ex. “Decidi tornar os fatos públicos porque, apesar de eu ser vítima, ele vinha espalhando para todos que eu era culpada. Não aguentava mais mentiras sobre mim”, afirmou.

 

View this post on Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Gabriela Batista (@gabs_ffb)

Mulher expõe na web agressões do ex-marido – violência em julho foi o estopim

No relato que fez à Polícia, Gabriela narra que o ex-marido chegou na casa em que moravam por volta 14 horas do dia 15 de julho. Segundo a estudante, o homem disse que pegaria alguns bens materiais, mas que queria a guarda do filho mais velho do casal. Em resposta, a estudante disse que a situação seria resolvida judicialmente, já que não estava disposta a dar a guarda total do filho.

A jovem afirma que o ex-marido ficou incomodado com a resposta e a ameaçou. “Você vai se arrepender disso”, teria alertado o homem. A mulher conta que o suspeito começou a lhe agredir com socos na costela, pernas e rosto. Ela diz que, por conta das violências, caiu em um sofá e o homem fugiu com alguns pertences.

“Eu não tinha como reagir às agressões, quando ele começava a me bater eu só ficava quieta para acabar logo porque se eu falasse algo apanhava mais ainda”, lembra Gabriela.

Mulher expõe agressões do ex-marido na internet: "não aguentava mais mentiras"

Lesões apresentadas por Gabriela no inquérito da investigação (Foto: Reprodução – Arquivo Pessoal)

Por volta das 16 horas do dia do crime, a mulher decidiu denunciar o caso à Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher. Ao chegar no local, se surpreendeu ao encontrar o ex-marido, que também denunciava o crime.

Aos policiais, o suspeito disse que a mulher e os familiares dela o ameaçaram de morte. Além disso, o homem negou a agressão à mãe de seus filhos.

Na ocasião, Gabriela mostrou as marcas dos socos e o ex-marido foi preso em flagrante. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) também aponta que a mulher, de fato, sofreu as agressões. “Ele insiste em dizer que nem a delegada acreditou em mim, mas é mentira. Ele foi preso em flagrante”, afirma. O músico pagou fiança e foi solto.

“Eu tenho muito medo. Ele é uma pessoa muito explosiva e pode tentar uma retaliação.  Costumava quebrar muitas coisas, chutava móveis e brinquedos dos bebês, estourava garrafas na parede”, disse a estudante.

Medo e outras consequências

Gabriela diz sentir medo constantemente e, por isso, decidiu expor o caso na internet. A vítima revelou que teme que o ex-marido obtenha a guarda das crianças e que ela fique sem poder ver os filhos. A mulher está em tratamento psiquiátrico para lidar com os traumas causados pelas violências.

“Eu tenho medo de tudo isso. Medo do meu ex atrapalhar minha vida mais ainda. Medo que ele pegue meus filhos ou volte atrás de mim. Depois das agressões e da denúncia, precisei procurar ajuda, estava num pós trauma muito pesado e o tratamento vem me ajudando. Eu simplesmente não conseguia dormir”, disse ela.

Uma outra consequência, segundo Gabriela, é o comportamento de um dos filhos do casal. “As crianças estavam presentes na maioria das agressões. Meu filho mais velho copiava as ações dele [ex-marido], mas hoje está bem melhor, pois também faz acompanhamento médico”, relatou a estudante.

O que diz o suspeito?

O suspeito, que preferiu não ter a identidade revelada, tem 32 anos e trabalha como músico e produtor cultural. Também em entrevista ao Mais Goiás, ele negou que agrediu a ex-esposa. “Nunca a agredi. Ela que chegou a jogar objetos em mim. Ela expôs isso para me denegrir”, rebateu.

Segundo o músico, ele decidiu sair de casa e pediu o divórcio depois que descobriu uma traição por parte de Gabriela. Além disso, o investigado conta que a ex-esposa o pressionava a fazer “coisas erradas”, como emprestar o carro para a mulher, que não tem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

“Ela começou a me trair com colega de serviço e também com uma colega nossa. Eu fui na delegacia logo após receber uma ligação de ameaça do meu ex-sogro. Inclusive cheguei lá mais de uma hora antes de ela fazer a denúncia. Lá, também fui ameaçado por amigos dela e pelo dito amante do serviço”, relatou o músico.

O homem rebateu o laudo pericial que comprova as agressões sofridas por Gabriela e todas as acusações feitas pela ex. Segundo ele, as lesões foram causadas por uma reação alérgica a côco. “Fico decepcionado, pois a Maria da Penha é uma lei extremamente importante para ser usada para uma mentira. Desafio alguém a dar um copo de água de côco para ela, sem tomar anti-alérgico, para ver a reação no corpo dela”, defendeu o músico.

À reportagem, o músico disse que se sente decepcionado com a situação. Ele conta que depois do post da ex-companheira passou a receber comentários negativos, os quais prejudicam seu trabalho. “As pessoas cancelam sem ouvir os dois lados, sem deixar a justiça agir antes, vão no impulso e às vezes cometem injustiças. Ela expôs agora só para me desmoralizar por vingança, creio eu”, disse ele.

Gabriela nega a traição e diz que está desempregada.

Os filhos

A guarda dos filhos é um ponto de disputa entre o ex-casal. O processo de guarda ainda corre na Justiça. Atualmente, o músico tem o direito de ficar com os filhos a cada 15 dias e, às vezes, aos finais de semana.

O profissional afirma que tem contribuído na criação dos filhos e na responsabilidade financeira ao pagar a pensão e incluí-los no plano de saúde. “No processo, eu coloquei guarda compartilhada aberta, com minha tutela. Enquanto ela entrou com unilateral para poder sair do país com eles sem minha autorização”, explicou.

Gabriela confrontou as afirmações do ex-companheiro. Segundo ela, são os avós paternos quem buscam as crianças e arcam com as necessidades. “Ele paga R$ 330 de pensão para os dois filhos. Os pais dele [músico] suprem as necessidades das crianças com comida e fraldas, porque ele acha que o que paga de pensão é suficiente para dois bebês, mas fica no bar de segunda a segunda”, disse ela.

 

*Larissa Feitosa compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Hugo Oliveira.