Mulher que teve o cão atacado por pitbull em Goiânia diz que dona é negligente

Segudo a mulher, a dona do pitbull tem o costume de passear com ele fora da coleira e sem focinheira

Uma advogada de 57 anos que passeava com sua filha e seu cachorro em uma rua do setor Oeste, em Goiânia, teve o cão atacado por outro da raça pitbull, no último domingo (25). De acordo com a mulher, o pet teve vários ferimentos e precisou ser internado num hospital veterinário. O pitbull seria de uma moradora do setor que, conforme a advogada, tem o costume de passear com o animal fora da coleira e sem focinheira.

A advogada, identificada com as iniciais D.L., conta que passava com a filha, de 18 anos, e seu pet, um lulu da pomerania de 4 anos, por volta das 18h45 pela Rua 9 do setor Oeste quando tudo aconteceu. Ao Mais Goiás, D.L. relata que o pitbull, que estava solto e sem focinheira e vinha pela calçada com sua dona, uma moradora da região, partiu para cima de um cachorrinho que estava com um idoso atrás dela e de sua filha.

Para protegê-lo, homem pegou seu cãozinho, também de pequeno porte, e o tirou do chão. Mas no mesmo instante, o pitbull deu a volta e atacou, desta vez, o pet de D.L. Foi preciso que a dona do pitbull, D.L., sua filha e o homem se juntassem para apartar o pitbull, que à essa altura, já havia mordido o lulu da pomerania.

“Meu cachorro não morreu porque como a própria dona do pitbull foi em cima dele e minha filha entrou no meio, e alguns carros pararam na rua, o pitbull abriu a boca e soltou”, relembra a advogada.

De acordo com a mulher, seu cãozinho precisou ser levado ao hospital veterinário, onde ficou internado. Ele teve perfurações na musculatura e há a suspeita de que a parte renal tenha sido afetada, uma vez que não está conseguindo urinar naturalmente. Já a filha sofreu escoriações – adquiridas no momento em que tentava fazer o pitbull soltar o cãozinho. A jovem precisou tomar vacinas antirrábica e antitetânica após o evento.

D.L. relata que a dona do pitbull é moradora do setor Oeste e tem o costume de andar com o cachorro fora da coleira e sem a focinheira. A advogada registrou uma ocorrência junto à polícia afirmou que acionará a Justiça contra a proprietário do animal.