‘Não era o desfecho que a gente queria’, diz Rodney Miranda sobre morte de Lázaro

Secretário de Segurança Pública disse que queria que Lázaro fosse preso e julgado pelos seus crimes

Rodney Miranda e Ismael Alexandrino vão deixar governo até abril para se candidatarem a deputado federal
Secretário Rodney Miranda (Foto: reprodução/Internet)

O secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Miranda, disse que a morte de Lázaro Barbosa, 32, não era o desfecho que a corporação queria. “Nós queríamos que fosse preso e levado à Justiça para responder pelos seus crimes, mas ele disparou contra os policais, que não tiveram outra escolha a não ser revidar”, afirmou em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (28). Lázaro morreu na manhã de hoje, após confronto com os policiais.

Segundo Rodney, o criminoso teria descarregado toda a munição contra os policiais, que revidaram. Nenhum agente ficou ferido. O criminoso chegou a ser socorrido e encaminhado para um hospital de Águas Lindas, mas não resistiu aos ferimentos. Imagens do suspeito mostram que ele foi atingido por vários disparos no crânio e no tórax.

O titular da SSP-GO explicou que o cerco contra o criminoso começou a se fechar na noite do último domingo (27). Segundo Rodney, câmeras de segurança flagraram Lázaro próximo à casa da ex-sogra e ex-mulher dele. “Ele adentrou na mata e começou a gritar que meteria bala na cara dos policiais”, disse.

Acobertamento

Rodney reforçou que Lázaro conseguiu fugir devido a uma rede de acobertamento que foi montada com auxílio de moradia e possível traçado de fuga do criminoso para outro estado e até mesmo para fora do país. O secretário afirma que as participações da ex-sogra, ex-mulher e do fazendeiro são quase certas, mas as investigações seguem para saber se outras pessoas davam cobertura ao criminoso.

“O dinheiro encontrado no bolso dele reforça que tinha ajuda. É mais absurdo pensar que tinham pessoas que queriam acobertar um criminoso de alta periculosidade, cruel, que tem crimes absurdos cometidos em Goiás, no Distrito Federal e Bahia. Ele era um psicopata. A única justificativa é que podem estar envolvidos na execução ou a mando dos crimes”, disse Miranda.

O secretário disse, também, que há outros oito inquéritos em aberto que são associados como de autoria de Lázaro.

Os objetos que foram encontrados com Lázaro estão passando por perícia. Miranda reforçou que se reunirá com a Polícia Civil para detalhar as novas nuances das investigações.