Número de presos em Goiás aumentou 14,7% de 2020 para 2021

De acordo com a tabela, eram 22.988 detidos nas penitenciárias goianas em 2020 e 26.365 no ano passado

Número de presos em Goiás aumentou 14,7% de 2020 para 2021
Número de presos em Goiás aumentou 14,7% de 2020 para 2021 (Foto: Google StreetView)

O número de pessoas privadas de liberdade no sistema penitenciário (presos) aumentou 14,7% de 2020 para 2021. A informação consta no Anuário Brasileiro de Segurança Pública, documento divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública na terça-feira (28).

Ainda de acordo com a tabela, eram 22.988 detidos nas penitenciárias goianas em 2020 e 26.365 no ano passado. No Brasil, o número aumentou de 753.966 para 815.165, um aumento de 8,11%.

O levantamento mostra, ainda, o número de presos de Goiás em custódia das polícias. Foram 15 em 2021 e 17 em 2020.

Em valores absolutos (o somatório do sistema penitenciário e custódia) foram 26.380 no ano passado e 23.005 no anterior no Estado.

(Imagem: Reprodução – Anuário)

Intervenções policiais em Goiás

O anuário também mostra que Goiás é o terceiro Estado com mais mortes decorrentes de intervenções policiais civis ou militares. Foram oito a cada grupo de 100 mil habitantes.

Em primeiro lugar está o Amapá, com 17,1 de mortes por ações policiais civis e militares, e depois o Sergipe, com nove. A média do Brasil foi de 2,9, primeiro recuo desde 2013, quando inicia a série. Ainda assim, foram 6.145 mil pessoas foram mortas nestas circunstâncias, no País, uma queda de 4,2%.

Já a unidade federativa com menos morte por ações policiais é o Distrito Federal, com 0,3 por grupo de 100 mil habitantes. Minas Gerais vem em seguida, com 0,5; e depois Rondônia, 0,6.

Feminicídios

Em relação a feminicídios, o registro em Goiás aumentou 21,1% em 2021, na comparação com o ano anterior. Em números absolutos foram 54 no passado contra 44 no anterior.

Por grupo de 100 mil habitantes, o Estado registrou 1,5 (2021) e 1,2 (2020). A unidade federativa com menor proporção foi São Paulo, com 0,6 feminicídio por 100 mil habitantes no ano passado. Os maiores – 2,6 – foram Alagoas, Mato Grosso do Sul e Tocantins.

No País, houve queda no índice de feminicídios em 1,7%. Foram 1.354 em 2020 contra 1.341 em 2021. Em grupo de 100 mil habitantes, foram 1,2 (2021) e 1,3 (2020).