Pais e professores protestam contra demissão em massa em colégio particular de Goiânia

Em entrevista ao Mais Goiás, docente afirma que foram chamados para uma reunião, mas o que havia era a fila para a rescisão contratual

Pais e professores protestam contra demissão em massa em colégio particular de Goiânia
Pais e professores protestam contra demissão em massa em colégio particular de Goiânia

Cerca de 40 professores e pais de alunos fizeram uma manifestação em frente Centro Educacional Sesc Cidadania, em Goiânia, contra a demissão de 66 docentes realizada na manhã desta sexta-feira (11). Eles protestaram contra a forma como a decisão foi tomada e por preocupação com a queda da qualidade de ensino.

De acordo com relatos de professores, eles foram chamados para uma reunião. Mas o que aconteceu foi a demissão dos profissionais. A notícia chegou até os pais dos alunos, que foram ao local e se juntaram aos docentes.

Maria Rita Motta, mão de duas alunas do ensino fundamental, contou ao Mais Goiás que não houve comunicação por parte da instituição. “A aula está programa para retornar no dia 25 de janeiro. Esperaram os pais fazerem a matrícula e de repente demite todo mundo sem nenhuma explicação. Só alegaram que era a crise econômica do país e a pandemia”.

A mãe também se disse preocupada comas mudanças e teme que a qualidade do ensino caia. “O meu receio é de cair a qualidade do ensino. Lá mesmo tendo um bom custo financeiro, a qualidade do ensino é muito boa. Foi isso que fez eu e meu esposo colocarmos nossas filhas lá. E para entrar lá tem todo um critério. E de repente eles fazem isso com os professores. Quem serão esses novos professores? Eles estão qualificados?”, questiona.

O Sindicato dos Professores do Estado de Goiás (Sinpro-GO), publicou uma nota de repúdio à demissão e afirmou que irá se reunir com os professores para encaminhar as medidas necessárias em defesa dos direitos.

“A indignação dos docentes e de toda a comunidade escolar é enorme. Depois de se desdobrarem com toda dedicação e sacrifício para que as atividades escolares em regime não presencial fossem mantidas em 2020, em decorrência da Pandemia da Covid-19, a premiação e o reconhecimento que receberam da gestão do Sesc foi a demissão sumária às vésperas das festividades de final de ano”, afirma o texto do sindicato.

O Mais Goiás tentou contato com a instituição, mas as ligações não foram atendidas até o fechamento da matéria. A reportagem também procurou o diretor regional Leopoldo Veiga Jardim, mas ele não foi localizado. O espaço está aberto para manifestação.