Pastor que beijou menina de 14 anos em vídeo já havia importunado a vítima na igreja

Polícia Civil investiga o caso

Pastor filmado ao beijar menina já tinha importunado a adolescente outras vezes
Pastor filmado ao beijar menina já tinha importunado a adolescente outras vezes (Foto: Reprodução/G1/TV Anhanguera)

Em Goiânia, a garota, de 14 anos, que filmou o pastor ao beijá-la disse ao conselho tutelar que as importunações sexuais começaram dentro da igreja, há cerca de quatro meses. O caso é investigado pela Polícia Civil.

“Ela disse que, algumas vezes, o pastor falava sozinho com ela na igreja com a desculpa de fazer uma oração, e dizia que queria beijá-la, mas não fazia isso porque tinha muita gente lá. Ela então contou para uma amiga da situação, que sugeriu que ela gravasse o vídeo”,  disse o conselheiro tutelar Júnior Borges Leite.

Segundo Júnior, após o Conselho Tutelar tomar conhecimento do caso, chamou a Guarda Civil Metropolitana (GCM), que informou a situação à Polícia Civil. ”O Conselho Tutelar vai acionar a rede proteção para dar toda assistência. Atualmente, ela está na casa de outro familiar”.

O Mais Goiás entrou em contato com a titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Marcella Orçai, que informou que já instaurou inquérito para investigar o caso e que detalhes serão passados apenas no final das investigações. “A mãe e a adolescente foram ouvidas, mas não podemos falar nada para nãoatrapalhar a apuração”, disse a investigadora.

Relembre

Uma adolescente de 14 anos filmou quando o pastor da igreja que a família frequenta vai até a casa dela, a beija na boca, abraça e oferece cerca de R$ 10. No vídeo, que veio a público na quarta-feira (21), é possível ver o homem pedindo beijo à garota e a abraçando.

De acordo com a delegada, a menina conhece o pastor desde os 4 anos de idade e que, no dia da filmagem, foi a primeira vez que ele foi à casa da adolescente.

Como já se passou em cerca de uma semana do dia em que o vídeo foi gravado, a delegada explicou que o pastor não pode ser preso, por enquanto, porque não há situação de flagrante.

*Com informações do G1