Pequena Lo relata situação em voo comercial: “humilhada, vontade de chorar”

No Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, influencer foi impedida de embarcar por causa de sua scooter elétrica

Influencer foi impedida de voar por causa de sua scooter elétrica. Pequena Lo relata situação em voo: “humilhada, vontade de chorar”
Pequena Lo (Foto: Reprodução Redes Sociais)

A influenciadora Lorrane Silva, a Pequena Lo, usou as redes sociais nesta sexta-feira (3) para desabafar sobre uma situação complicada que passou no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Ela tentava embarcar com uma scooter elétrica, veículo que usa para se locomover, mas foi impedida pela companhia aérea Azul.

Pequena Lo revelou que, por conta do perrengue, o voo com destino a São Paulo atrasou em uma hora, prejudicando todos os passageiros.

“Ia ter um voo agora e eles simplesmente atrasaram o voo 1h de prazo, porque NÃO queriam despachar a minha scooter. Atrasando um voo com 118 pessoas, por conta da minha Motinha. Eu to completamente chocada com o transtorno que causaram por nada”, afirmou a humorista.

A confusão só terminou após a influenciadora decidir descer do voo e esperar o problema ser resolvido.

“Eu acabei de descer do avião, porque decidi que não iria mais nesse voo, depois dessa falta de noção que aconteceu, agora vou ter que pegar outro voo”, disse.

“Gente eu viajo toda semana, e hoje eles implicaram com a minha scooter! E pra completar, tive que subir escadas porque o voo de hoje foi remoto. O tamanho da escadaria que tive que subir, e agora descer porque desisti de viajar nesse voo”, disse Pequena Lo, cansada.

Para a coluna de Leo Dias, do Metrópoles, a influenciadora explicou que a bateria de sua Scooter é em gel e acoplada, ou seja, pode ser retirada para embarcar.

“Quando é líquida, é mais complicado. Eles sempre me perguntam no check-in para eu avisar que é bateria a gel. O comandante não queria deixar eu voar, dizendo que bateria em gel não podia. Eles queriam me embarcar mas a moto ia ficar no Rio”, explica.

“Que sentido faria? Preciso dela [da moto] para me locomover. Desci do voo, minha mãe ficou constrangida. Pediu desculpas para as mais de 100 pessoas que estavam querendo viajar. Fui mal atendida. E hoje é o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Ainda fazem isso numa data que a gente luta. Senti vontade de chorar. Me senti humilhada”, desabafou.

LEIA TAMBÉM:

• Simone Mendes comemora perda de 25 quilos: ‘Não conseguia amarrar o tênis’