Períodos letivos da UFG devem se organizar só no fim de 2022

De acordo com o reitor Edward Madureira, “segundo semestre” de 2020 ainda vai começar

Períodos letivos da UFG devem se organizar só no fim de 2022
Períodos letivos da UFG devem se organizar só no fim de 2022

Segundo o reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira, apenas no fim de 2022 os semestres letivos da UFG devem se organizar – ou seja, adequar o tempo perdido por causa da pandemia da Covid. Ainda de acordo com ele, não será possível iniciar o primeiro período de 2021 antes de junho, pois o segundo de 2020 ainda está começando.

“Vamos começar o segundo semestre de 2020, que deve ser mais compacto. Questão de três semanas, no máximo, mas é algo que ainda está em discussão, não está certo”, explica o reitor.

Questionado se serão conduzidos três períodos neste ano, ele diz que não. “No máximo dois meio neste e dois e meio no ano que vem. Assim, a situação se normalizaria em 2022”, argumenta.

Contudo, essa previsão é otimista. Edward afirma que para transcorrer desta forma é preciso que imunização aconteça sem imprevistos e que pandemia diminua.

Insumos e vacinação

Vale destacar, governadores tem atuado para tentar facilitar a importação de imunizantes que as vacinas possam ser fabricadas no Brasil. A possibilidade na aquisição de insumos se dá, supostamente, por inércia do governo federal, inclusive motivando a atuação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que chegou a se reunir com o embaixador da chinês Yang Wanming para tratar do assunto, na quarta (20).

No mesmo dia, o governo federal emitiu uma nota dizendo “vem tratando com seriedade todas as questões referentes ao fornecimento de insumos farmacêuticos para produção de vacinas (IFA)” e que é o “único interlocutor oficial com o governo chinês”.