Polícia acredita que suspeito de matar jovem a facadas em Anápolis tenha cometido crime durante surto psicótico

Polícia constatou que suspeito possui em seu histórico internações por surtos psicóticos e esquizofrenia

O judiciário ainda destacou que em caso de condenação a pena pode chegar a 30 anos de reclusão.(Foto: Polícia Civil)
O judiciário ainda destacou que em caso de condenação a pena pode chegar a 30 anos de reclusão.(Foto: Polícia Civil)

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) concluiu nesta quarta-feira (27) as investigações do homicídio de Samuel Junior Ferreira de Oliveira, 27 anos, morto a facadas em Anápolis no Residencial Morumbi em março deste ano.

A investigação foi concluída, após a prisão do principal suspeito, de 52 anos, no início deste mês de abril e a constatação de que ele tem, em seu histórico internações por surtos psicóticos e esquizofrenia.

“Um incidente de insanidade mental foi instaurado pelo Poder Judiciário, visando apurar se o autor é inimputável ou capaz de responder criminalmente pelo ato praticado”, diz a nota da PCGO.

O suspeito confessou o crime à Polícia e foi indiciado nos autos do inquérito policial.

O judiciário ainda destacou que em caso de condenação a pena pode chegar a 30 anos de reclusão. Já em caso de reconhecimento da inimputabilidade do indiciado, o mesmo será submetido à medida de segurança, com internação em estabelecimento próprio.

O homem de 52 anos está preso em Anápolis preventivamente e aguarda a decisão do judiciário.