Polícia Civil desarticula grupo que fraudava cartões do transporte coletivo

No total, o grupo teria produzido cerca de 150 cartões clonados, provocando prejuízo estimado em cerca de R$ 30 mil

A Polícia Civil deu cumprimento a mandados de prisão contra três pessoas suspeitas de fraudar o Cartão Fácil, do Sindicato Das Empresas De Transporte Coletivo Urbano De Passageiros De Goiânia (Setransp). No total, o grupo teria produzido cerca de 150 cartões clonados, provocando prejuízo estimado em cerca de R$ 30 mil.

Marcus Vinícius Barros de Jesus, 24 anos, Luana Crisley Soares Mesquita, de 18, e Bruna Dias Coelho, de 21, são investigados por produzirem cartões de acesso ao transporte coletivo e os venderem com créditos de R$ 200. Segundo as apurações do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes (Gref), os suspeitos abasteciam cartões originais com a quantia e, a partir daí, criavam clones com o mesmo valor.

De acordo com a Polícia Civil, as pessoas que venderam os cartões para que fossem clonados já foram identificados.