Em Aragoiânia, polícia localizada corpo de pastora evangélica que estava desaparecida

Ailsa Regina Gonzaga, de 40 anos, estava desaparecida desde o último dia oito de novembro. O suspeito foi preso pela polícia

A Polícia Civil de Goiás encontrou, na noite desta quinta-feira (28), o corpo que seria da pastora evangélica Ailsa Regina Gonzaga, de 40 anos, que estava desaparecida desde o último dia oito de novembro.

Segundo as primeiras informações, obtidas com exclusividade pelo Mais Goiás, agentes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) chegaram até o corpo após prenderem, no início da tarde de ontem, em Águas Claras, no Distrito Federal, o pastor Alexandre Silva, que frequentava a mesma igreja que Ailsa Regina. Ele teria confessado o assassinato, e a ocultação de cadáver.

Já em estado de decomposição, o corpo da pastora foi localizado em uma mata, na saída para Aragoiânia. Ailsa desapareceu no início de novembro após sair do Setor Orienteville, em Goiânia, onde morava com os dois filhos, de 11, e 15 anos, para supostamente ir olhar um imóvel que pretendia alugar em outro bairro da Capital.

Na manhã desta sexta-feira (29), peritos do Instituto de Criminalística, e agentes da Deic retornarão até a mata, junto com o suspeito de ter matado a mulher, para recolher o cadáver. Ainda não há previsão de quando Alexandre Silva será apresentado à imprensa.

Aguarde, essa matéria ainda está sendo atualizada.