Polícia Penal captura drone com drogas e celular que seriam lançados na CPP em Aparecida de Goiânia

Eletrônico e as porções de uma substância semelhante à droga sintética K4, conhecida como supermaconha, eram direcionados aos presos da Casa de Prisão Provisória

Polícia Penal captura drone com drogas e celular que seriam lançados na CPP em Aparecida de Goiânia
Polícia Penal captura drone com drogas e celular que seriam lançados na CPP em Aparecida de Goiânia (Foto: DGAP - Divulgação)

Policiais penais da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia interceptaram um drone, na manhã desta segunda-feira (30), com um celular e porções de substância análoga à droga sintética K4, conhecida como supermaconha, que possui concentração maior do princípio ativo entorpecente. Ninguém foi preso.

Segundo a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), a droga seria arremessada para dentro da unidade prisional. O drone foi interceptado antes que as drogas tivessem chegado ao pátio do estabelecimento penitenciário.

Após a interceptação, policiais do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope) realizaram procedimento de ronda externa nas proximidades do estabelecimento penitenciário para localizar os responsáveis por operar o aparelho. Até o momento, os indivíduos não foram encontrados.

De acordo com a diretoria da CPP, um procedimento administrativo será instaurado para apurar o possível detento destinatário do materiais e, diante disso, serem aplicadas as devidas sanções disciplinares.

A droga apreendida foi encaminhada à delegacia de Polícia Civil. O drone e o celular foram apreendidos.

Diminuição na apreensão de drogas

De acordo com balanço da DGAP, a apreensão de drogas nos estabelecimentos penitenciários em todo o Estado reduziu em 14,65%.

Enquanto o número de drogas apreendidas fora das unidades, entre 2020 e 2021, somou cerca de 84 mil quilogramas, a quantidade interceptada já dentro, também nos dois anos, foi de aproximadamente 23 mil quilogramas.

O item que lidera os números de apreensão é a substância análoga à maconha, tanto em 2020 quanto em 2021. Em seguida, as apreensões em maiores quantidades são substâncias semelhantes à cocaína e ao crack. Na comparação entre os dois intervalos de tempo, a substância que teve o maior aumento de interceptação, ainda fora das unidades prisionais, foi o LSD, de 1.000 unidades em 2020 para 7.633 em 2021 (um crescimento de 663%).

Por outro lado, o material semelhante ao haxixe foi a droga que teve maior percentual de redução na entrada nas unidades prisionais; em 2020 foram apreendidas 790 gramas da substância e em 2021 somente seis gramas do material (diminuição de 99%).