Polícia volta a prender suspeito de participação em corrupção na Codego

Desta vez, a prisão foi em flagrante por porte ilegal de arma de fogo

Suspeito que voltou a ser preso (Foto: Polícia Civil)
Suspeito que voltou a ser preso (Foto: Polícia Civil)

A Polícia Civil voltou a prender, na tarde desta terça-feira, um dos investigados por suspeita de cobrança de propina na Companhia de Desenvolvimento de Goiás (Codego) e que havia sido solto ontem (17), depois do fim do prazo da prisão temporária. Desta vez, o homem foi preso por porte ilegal de arma de fogo e por uso indevido de logotipo ou quaisquer outros símbolos identificadores de órgãos ou entidades da Administração Pública, cujas penas podem chegar a 10 anos de prisão.

O suspeito havia se dirigido por vontade própria à Delegacia Estadual de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) para solicitar a restituição de seus objetos apreendidos na operação. Na ocasião, os policiais perceberam que havia um volume na cintura dele e descobriram que se tratava de uma arma (pistola, calibre 380, modelo CPX-3, com dois carregadores contendo 20 munições). O homem não possuía porte de arma de arma de fogo.

A Polícia Civil diz que na terça, depois que foi solto, o suspeito gravou um vídeo em que supostamente menospreza o trabalho da Draco. O vídeo circulou em grupos de Whatsapp. Os policiais também descobriram uma carteira brasonada do Gabinete Militar do Estado de Goiás com registro em nome do autuado. A prisão foi feita em flagrante.