Populares chamam Wanderson de “Novo Lázaro” por semelhança dos casos

Fuga, crimes, personalidade e movimentação policial fazem populares lembrarem da maior busca de um foragido em Goiás

Wanderson Mota e Lázaro Barbosa, entenda semelhanças entre crimes. (Foto: Divulgação Polícia Civil)

No segundo dia de caçada por Wanderson Mota Protácio, moradores da região de Abadiânia e usuários nas redes sociais já comparam o suspeito do triplo homicídio, em Corumbá-GO, com Lázaro Barbosa, suspeito de matar uma família no Distrito Federal e fugir para Goiás.

“A gente fica com medo, porque esse caso se encaminha para a mesma história do caso Lázaro” diz a moradora, Tatiane Alves a reportagem do Mais Goiás. Chamado já por “Novo Lázaro” entenda as semelhanças e diferenças no caso, sobre o que se sabe até aqui:

Veja as semelhanças entre Wanderson e Lázaro

Wanderson Mota: assassinou a esposa de 19 anos, a enteada de 2 anos e um fazendeiro vizinho. Ele já tinha passagem pela Polícia Civil por tentativa de homicídio. De acordo com delegado Tibério Martins, o foragido já teve histórico de brigas em outros estados e por isso veio para Goiás. Ainda de acordo com a PC, ele está escondido na zona rural de Abadiânia.

Lázaro Barbosa : 32 anos, morto pela polícia civil, foi apontado como autor de 38 crimes. A Polícia Civil de Goiás investiga se as pistas deixadas por ele podem identificar pessoas suspeitas de participar ou financiar os casos que ficaram sem solução e de auxiliá-lo a fugir durante 20 dias. Os crimes foram cometidos em Goiás, Distrito Federal e Bahia.

Personalidade

Pessoas próximas a Wanderson Mota disseram que o suspeito era uma pessoa calada. Quem morava próximo de Wanderson dizia que o caseiro da região de Corumbá costumava falar bem de Lázaro Barbosa, elogiando a fuga dele. A Polícia Civil definiu o perfil do foragido como alguém “Violento com idoso e mulheres”. Não há informações se o caseiro tem amplo conhecimento de matas, local onde a Polícia acredita que ele está escondido.

Lázaro Barbosa, de acordo com o Secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, possuía um ritual para atacar as vítimas. “Ele levava a vítima para a beira do rio, manda tirar as roupas e uns ele acaba matando”, explicou o secretário à época.

Ação Policial

No segundo dia de busca por Wanderson Mota, mais de 50 policiais já trabalham na região de Abadiânia. A reportagem do Mais Goiás apurou que, por enquanto, apenas a polícia local das 3 regiões, Corumbá, Alexânia e Abadiânia, irão atuar nas buscas pelo suspeito. Em nota publicada, a Polícia Civil informou que as investigações sobre os crimes estão a cargo da Delegacia Regional de Anápolis, com apoio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais e do Grupo de Investigação de Homicídios.

Diferentemente do caso Lázaro, a postura adotada até o momento é de conter as informações para que não atrapalhem as investigações.

Aproximadamente 270 policiais participaram da operação pelas matas de Cocalzinho e Águas Lindas de Goiás. A operação contou com forças de elite das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal.

Foram empenhados drones com visão noturna e térmica, helicópteros, cães farejadores, rádios do Exército com alcance de até 30km para comunicação e duas antenas amplificadoras de sinal, cedidas pela Polícia Militar do Rio de Janeiro.

 

LEIA MAIS :

Moradores de Abadiânia levam vida normal em meio às buscas por matador de Corumbá