Por 3 a 0, TRF-4 mantém condenação e aumenta pena de Lula

Desembargador Victor Laus, terceiro a proferir seu voto no julgamento, disse que se esperava um outro tipo de atitude de Lula e que o petista pode ter confundido sua posição de presidente da República

O desembargador Victor Laus, terceiro a proferir seu voto no julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse que se esperava um outro tipo de atitude de Lula e que o petista pode ter confundido sua posição de presidente da República com a de um presidente de “agremiação partidária”.

As provas mostram que Lula “auferiu benefícios”, falou o desembargador. O voto de Laus caminha para um tom mais crítico ao ex-presidente, indicando no momento um placar de 3 a 0 pela confirmação da condenação. Ele está falando há uma hora.

Laus, disse que, no caso dos funcionários da OAS, cada depoimento trouxe um elemento a mais de prova para o processo.

Ele afirmou que o depoimento do empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, não pode ser desqualificado apenas por ser réu na ação. Pinheiro fez uma série de acusações contra Lula em audiência no ano passado.

Laus abriu sua fala defendendo o trabalho e a legitimidade do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

As falas ocorrem um dia depois de o ex-presidente reunir lideranças petistas e milhares de pessoas no centro de Porto Alegre em um ato crítico à Justiça.

A sessão da corte começou às 8h30, com menos de uma hora de intervalo às 14h.