Prefeitura lança Dia ‘D’ de combate ao Aedes aegypti em Goiânia nesta quinta (12)

Segundo dados do Ministério da Saúde, até abril, Goiânia foi a capital com o maior número de casos de dengue em 2022

A Prefeitura de Goiânia lança, nesta quinta-feira (12), o Dia ‘D’ de combate ao Aedes aegypti na capital. (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)
A Prefeitura de Goiânia lança, nesta quinta-feira (12), o Dia ‘D’ de combate ao Aedes aegypti na capital. (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

A Prefeitura de Goiânia lança, nesta quinta-feira (12), o Dia ‘D’ de combate ao Aedes aegypti na capital. A ação ocorre na manhã no Parque da Lagoa, que fica localizado no Parque Oeste Industrial. O objetivo é diminuir os níveis de infestação do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Segundo a Prefeitura, a ação é coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde e tem parceria com a Secretaria Estadual de Saúde. O evento, segundo a pasta municipal, marca a intensificação do trabalho contra o mosquito na capital.

As ações a serem intensificadas serão anunciadas no evento, que ocorre neste momento.

Cenário do Aedes aegypti e da dengue em Goiânia

Vale ressaltar que, segundo dados do Ministério da Saúde, Goiânia é a capital com o maior número de casos de dengue em 2022. No primeiro trimestre deste ano foram quase 20 mil casos confirmados no município. No ano passado, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) foram no total 11,48 mil casos de dengue na cidade.

Em abril, em razão do alto número de casos, a Prefeitura de Goiânia decretou estado de emergência em saúde.

A medida prevê reforço no combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor das doenças, por seis meses. Além disso, a decisão permite ao município comprar materiais e insumos sem alguns entraves burocráticos. O decreto viabiliza ainda a contratação de servidores temporários para reforçar as ações de combate ao espalhamento da dengue e doenças correlatas em Goiânia.

No dia último dia 20 de abril, o Mais Goiás mostrou que Goiânia lidera a lista de óbitos por dengue no Estado. Até a mencionada data, a capital havia registrado 9 óbitos causados pela doença.